TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Domingo, 17 de Novembro de 2013

Se tens conhecimento, deixa que as outras pessoas acendam as suas velas na tua.

(Thomas Fuller)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

AS QUATRO VELAS

 

 

Quatro velas ardiam sobre a mesa,

E falavam da vida e tudo o mais.

A primeira, tristonha: “Eu sou a PAZ,

Mas o mundo não quer me ver acesa…”

 

A segunda, em soluços desiguais:

“Sou a FÉ! Mas é triste a minha empresa:

Nem de Deus se respeita a Realeza…

Sou supérflua, meu fogo se desfaz…”

 

A terceira sussurra, já sem cor:

“Estou triste também, eu sou o AMOR…

Mas perdi o fulgor como vocês…”

 

Foi a vez da ESPERANÇA – a quarta vela:

“Não desiste ninguém, que a vida é bela!

E acendeu novamente as outras três!

 

(Dedé Monteiro)

 

publicado por artedasao às 12:39
 O que é? |  O que é?

pesquisar
 
Novembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9





Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Arte da São
conter12

blogs SAPO


Universidade de Aveiro