TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Sábado, 25 de Abril de 2015

Caixas para Lápis

 

                  >>>>>>>>>>>>>>><<<<<<<<<<<<<<<

 

2015-03-24-160.jpg

 

                    >>>>>>>>>>>>>>><<<<<<<<<<<<<<< 

 

Workshop (Técnica do Guardanapo)

Realizado no dia 23-03-2015

 

A caixa que não tem tampa
Fica sempre destapada
Dá-me um sorriso dos teus
Porque não quero mais nada.

(Fernando Pessoa)

 

publicado por artedasao às 16:02

Sábado, 01 de Novembro de 2014

 

 

 

 

 

 

  >>>>>>>>>>///<<<<<<<<<<

DSC_0923.JPG

  >>>>>>>>>>///<<<<<<<<<<

 

Cesta Recheada de Bem-querer

 

"Hoje e sempre, trago para si,

Todos os aromas das flores

Mais lindas e perfumadas

Que encontrei na caminhada...

Trago também,

Montes de sorrisos lindos

Para que enfeitem os dias da sua vida...

Trago a alegria envolta de paz e de luz...

Trago a serenidade e a suavidade

Em gesto de carinho sobre o seu coração...

Trago tudo isto no meu regaço,

Numa cesta recheada

De querer bem!!!" 

 

(Rómy Pinto)

 

 

 

 

 

 

publicado por artedasao às 14:15

Quinta-feira, 03 de Abril de 2014

(Echarpe de seda pintada á mão)

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                   >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

QUERO

 

Quero ser a cura para as sua feridas,

O lenço que enxuga suas lágrimas,

O remédio que fecha suas cicatrizes.

 

O sorriso do seu dia-a-dia,

O Brilho dos seus olhos,

O adormecer da sua noite.

 

Quero ser aquela primeira amiga que vem na sua mente,

O primeiro abraço pro seu aconchego,

O beijo que você deseja.

 

Quero ser a causa do seu tormento,

E ser a única que pode tirá-la,

Aquela que você lembrará sempre.

 

Quero ser sua confidente,

O colo que procuras,

A calma que não acha.

 

Quero ser sua amiga,

Quero ser sua cura,

Quero ser o canto seu.

 

Desejo muito mais que minhas próprias palavras,

Quero muito mais que meus próprios sentimentos,

Algo que tentamos expressar através de palavras,

Mas não há palavras que expliquem o tamanho verdadeiro.

Mas não há palavras que expliquem o verdadeiro significado.

 

(Lais Y. T.)

 

 

publicado por artedasao às 18:58

Sábado, 15 de Fevereiro de 2014

(Um Olhar na Praça da Liberdade, Centro da Cidade do Porto O Melhor Destino Europeu)

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Cidade do Porto

 

As tuas iniciais,

São nome de Portugal.

São cinco letras reais,

Pois tu és original!

 

Tenho gosto e vaidade

Por ter nascido no Porto.

Sou desta linda cidade

Tripeiro vivo ou morto.

 

Sou deste Porto velhinho

Do rio Douro vaidoso.

Também és nome do vinho

Que no mundo é famoso.

 

Do caloroso São João,

Do trinta e um de Janeiro

E das tripas com feijão,

Deste Porto hospitaleiro.

 

E da velhinha Ribeira

Do mercado do Bolhão!

É esta cidade tripeira

Que trago no coração.

 

És minha cidade

Do norte de Portugal,

Terra de Liberdade

Sempre Nobre e Leal.      

 

(Pedro Augusto)

 

publicado por artedasao às 11:40

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014

(Travessa em Vidro com Técnica de Pintura Encáustica)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Pequeno grande mundinho

 

 

 

Quando saímos do nosso

 

Grande pequeno mundinho,

 

Percebemos que há um outro

 

Bem maior e mais vivo.

 

Que existem outras pessoas.

 

Que há delírios, conflitos,

 

Problemas maiores que o nosso.

 

E que bastaria

 

Não uma tempestade

 

Mas uma simples brisa

 

Para varrê-los como poeira.

 

Mas o que importa os outros?

 

Estamos presos a nós mesmos.

 

Problemas todos os têm.

 

Que cada um fique com os seus.

 

É assim que pensamos,

 

E voltamos para o nosso

 

Pequeno grande mundinho,

 

Para a nossa redoma de vidro,

 

Onde a qualquer momento

 

Uma pedra será lançada.

 

 

(Ricardo Ohara)

 

publicado por artedasao às 16:06

Quinta-feira, 09 de Janeiro de 2014

A noite só é negra quando não temos uma luz para iluminar a escuridão.

(Valdeci Alves Nogueira)

 

              >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

              >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Recordo Ainda

 

Recordo ainda... E nada mais me importa...

Aqueles dias de uma luz tão mansa

Que me deixavam, sempre, de lembrança,

Algum brinquedo novo à minha porta...

 

Mas veio um vento de Desesperança

Soprando cinzas pela noite morta!

E eu pendurei na galharia torta

Todos os meus brinquedos de criança...

 

Estrada afora após segui... Mas, aí,

Embora idade e senso eu aparente

Não vos iludais o velho que aqui vai:

 

Eu quero os meus brinquedos novamente!

Sou um pobre menino... acreditai!...

Que envelheceu, um dia, de repente!...

 

(Mario Quintana)

 

publicado por artedasao às 14:47

Quarta-feira, 08 de Janeiro de 2014

Parar nas esquinas da vida não é obrigatório, mas vale a pena.

(Daniel Polcaro)

 

       >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

       >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Casinha da Esquina

 

A casinha da esquina é florida,

há flores de todas as cores,

na casinha da esquina.

 

Naquela casinha da esquina,

mora toda alegria.

Pássaros cantam felizes

naquela casinha da esquina.

 

Tem na casinha da esquina,

silencio, graça e harmonia.

Tem paz na casinha da esquina.

 

Felicidade,

é na casinha da esquina,

porque quem me ama,

está na casinha da esquina.

 

É minha grande paixão

Que mora na casinha da esquina,

esperando pelo seu amor,

naquela casinha da esquina.

 

(Marcos Marques)

 

publicado por artedasao às 14:33

Terça-feira, 07 de Janeiro de 2014

(O Meu Último Trabalho de Pintura em 2013) "ONDA"

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Dentro de Mim

 

 

O que está dentro de mim

 

Está dentro de mim

 

Ninguém arranca

 

Se eu não quiser

 

Ninguém me tira do chão

 

Ou me faz descer das nuvens

 

Se eu não me dispuser

 

A navegar meus rios

 

A contemplar meus desvarios

 

A devastar meus mares

 

A conhecer em mim diferentes lugares

 

Cubro-me de sonhos

 

Ventilados pela poesia

 

Que cintilam no céu da nostalgia

 

Há dissabores e lágrimas

 

Agarrados às minhas saias

 

Também encontro ondas de amor e alegria

 

Percorrendo as minhas praias

 

Não é assim o vai e vem do mar da vida?

 

Escrevo sobre o que salta das minhas areias

 

Até encontrar a saída

 

 

(Úrsula A. Vairo Maia)

 

 

tags: ,
publicado por artedasao às 17:29

Sábado, 21 de Dezembro de 2013

(Porta Incenso, Peças Únicas Desenhos Abstratos)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Desenhos Abstractos

 

 

Às vezes é necessário desenhos abstractos para saber que faz parte dos meus traços... Às vezes quadrado, outras vezes em círculos, outras vezes em paralelos, às vezes em tripé, as vezes em linha recta no horizontal e muitas vezes no vertical, mas tudo se resume em cores berrantes da paixão.

 

(Khaleb Bueno)

 

publicado por artedasao às 11:58

Sexta-feira, 20 de Dezembro de 2013

O desejo é uma árvore com folhas; a esperança, uma árvore com flores; o prazer, uma árvore com frutos.

(Guilherme Massien)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

O Homem das Castanhas

  

Na Praça da Figueira,

ou no Jardim da Estrela,

num fogareiro aceso é que ele arde.

Ao canto do Outono, à esquina do Inverno,

o homem das castanhas é eterno.

Não tem eira nem beira, nem guarida,

e apregoa como um desafio.

 

É um cartucho pardo a sua vida,

e, se não mata a fome, mata o frio.

Um carro que se empurra,

um chapéu esburacado,

no peito uma castanha que não arde.

Tem a chuva nos olhos e tem o ar cansado

o homem que apregoa ao fim da tarde.

Ao pé dum candeeiro acaba o dia,

voz rouca com o travo da pobreza.

Apregoa pedaços de alegria,

e à noite vai dormir com a tristeza.

 

A mágoa que transporta a miséria ambulante,

passeia na cidade o dia inteiro.

É como se empurrasse o Outono diante;

é como se empurrasse o nevoeiro.

Quem sabe a desventura do seu fado?

Quem olha para o homem das castanhas?

Nunca ninguém pensou que ali ao lado

ardem no fogareiro dores tamanhas.

 

Quem quer quentes e boas, quentinhas?

A estalarem cinzentas, na brasa.

Quem quer quentes e boas, quentinhas?

Quem compra leva mais amor pra casa.

 

(Ary dos Santos)

 

publicado por artedasao às 11:24

Quinta-feira, 19 de Dezembro de 2013

(Taça de Vidro Pintado, Peças Únicas)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Amor Adormecido

 

 

Em uma cruzada de olhar

 

Foi que um imenso amor nasceu.

 

Não houve tempo pr’a pensar

 

Só sei que tudo escureceu.

 

 

 

Teu sorriso me enterneceu

 

Conseguiste -me emocionar.

 

Em uma cruzada de olhar

 

Foi que um imenso amor nasceu.

 

 

 

Hoje do passado a lembrar

 

Sinto que algo ainda não morreu.

 

Há vontade de te encontrar,

 

Logo nem tudo esmoreceu

 

Em uma cruzada de olhar.

 

 

 

(Mardilê Friedrich Fabre)

 

 

publicado por artedasao às 18:34

Quarta-feira, 18 de Dezembro de 2013

(Chapéu de Palha em Mesa de Esplanada)

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Soneto do Passarinho Apaixonado

 

Passarinho apaixonado.

Coloca o chapéu de lado.

Enche de sonhos uma flor.

Num dia lindo de amor.

 

Vestiu seu belo terno colorido.

Arrumou bem o seu bico.

Queria boa impressão passar.

Para a namorada ele encantar.

 

Fez voos rasantes e impressionou.

Um chapéu de flor arrumou.

É para oferecer a sua bela

 

Pois ela será seu amor infinito.

Cantará todos os cantos mais lindos.

Quando ele pousar na janela.

 

(Dayse Sene)

 

publicado por artedasao às 14:35

Terça-feira, 17 de Dezembro de 2013

(Duas Taças em Vidro Pintado, Peças Únicas)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Deixo Viver

 

Muitas taças coloridas

A esperar por tua bebida

 

Muitas tramas, muitas vidas

Atracções multicoloridas

 

Impressões ensandecidas

Que transbordam sonhos

 

Esvaziam esperanças

Evaporam o amor

 

É fato beber da realidade

De quem apenas "deixa viver"

 

E vai buscar, outra verdade!

 

(Siomara Reis Teixeira)

 

publicado por artedasao às 14:10

Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2013

(Um Olhar as Cidades do Porto e Vila Nova de Gaia com o Rio Douro a Separar)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 


                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Nas Cidades a vida é mais pequena

Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.

Na Cidade as grandes casas fecham a vista à chave,

Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que nossos olhos nos podem dar

E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é Ver

 

(Alberto Caeiro)

 

 

publicado por artedasao às 12:50

Domingo, 15 de Dezembro de 2013

(Um dos meus arranjos de Natal)


A Melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.

Autor Desconhecido

 

               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

As criaturas que habitam esta terra

em que vivemos, sejam elas seres

humanos ou animais, estão aqui para, 

contribuir, cada uma com sua

maneira peculiar para a beleza

e a prosperidade do mundo.

 

(Dalai Lama)

 

publicado por artedasao às 18:06

Sábado, 14 de Dezembro de 2013

Não, a vida não é uma festa permanente e imóvel, é uma evolução constante e rude.

(Ramalho Ortigão)

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<




                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Uma Festa

 

 

Uma alegria contagiante no ar

As luzes coloridas, a brilhar

Uma música da moda a tocar

Todos animados, a dançar

Pelo jeito ninguém quer parar

Esse momento mágico; querem aproveitar

Ruim é saber que isso, uma hora vai acabar

A magia vai cessar

A música vai se calar

A luz vai desligar

O sol vai raiar

Um dia normal vai começar!

 

(Clarice Pacheco)

 

publicado por artedasao às 14:20

Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2013

(Pintada e Craquelada)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Amo café, mas hoje fiz Chá

para ser apreciado,

em uma longa conversa a dois.

Mesmo que ninguém fale,

Simplesmente se olhe, se cale.

Algo que me diz

que você vai entender

o que não preciso dizer.

 

(Marcia Bandeira)

 

publicado por artedasao às 12:43

Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2013

Devemos Amar o que é Antigo, mas Viver para o Novo.

(Theodor Fontane)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

SAUDADE

 

Um homem desconsolado

Uma casa abandonada

Uma porteira fechada

Um carro desmantelado.

 

Um candeeiro apagado

Uma vida amargurada

Uma casinha caiada

Um jumento abandonado.

 

Uma estrada esquecida

Uma panela no chão

Um pouco de falsidade.

 

Tudo isso tira a vida

Maltratando o coração

Mostrando o que é saudade.

 

(Edilson Alves)

 

publicado por artedasao às 12:35

Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2013

A caixa que não tem tampa

Fica sempre destapada

Dá-me um sorriso dos teus

Porque não quero mais nada.

(Fernando Pessoa)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Poema do Chá

 

Em vez de me apaixonar

uma xícara de chá por favor

ela aquece a minha alma e elimina minha dor

agradeço a quem inventou essa bebida

aquece o meu corpo e cura minhas feridas

Sendo verde, preto, branco ou de frutas silvestres

inventado por um anjo não por um ser terrestre

Segurando em volta da caneca

pra esquentar as mãos

Calor corre pelo braço e chega ao coração

Na frente da tv

Na frente do pc

É um chá bem gostoso

que eu quero beber

Quente ou frio

toda vez que bebo

sinto um arrepio

Na falta de um abraço

um chá; irei tomar

para com sono ficar

para mais confortável

poder deitar e sonhar

 

(Pedro Alvim)

 

 

publicado por artedasao às 18:05

Terça-feira, 10 de Dezembro de 2013

Quem quiser plantar saudade, trate de escaldar a semente. Plante no solo bem duro, onde o Sol seja mais quente. Pois se plantar no molhado, ela cresce e mata a gente.

(Maomé)

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Eu canto porque o instante existe

E a minha vida está completa.

Não sou alegre nem sou triste:

Sou poeta.

 

Irmã das coisas fugidias,

Não sinto gozo nem tormento.

Atravesso noites e dias

No vento

 

Se desmorono ou se edifico,

Se permaneço, ou me desfaço,

- Não sei, não sei. Não sei se fico

Ou passo.

 

Sei que canto. E a canção é tudo.

Tem sangue eterno a asa rimada.

E um dia sei que estarei muda:

- Mais nada.

 

(Cecília Meireles)



publicado por artedasao às 14:42

Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2013

"Uma vela, nada perde quando com sua chama, acende uma outra que está apagada."

 (Orison S.Marden)


         >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



         >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


Uma Vela a manter a esperança

Outra a iluminar a beleza

Acendeu a terceira só por lembrar

De como pode ser efémera toda a certeza!

 

(Marcia Bandeira)

 

publicado por artedasao às 11:59

Domingo, 08 de Dezembro de 2013

(No Sub-solo da Barragem do Alto Lindoso a cerca de 300 metros de profundidade existe esta magnifica Sala)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

O POETA

 

Venho do fundo das Eras

Quando o Mundo mal nascia...

Sou tão antigo e tão novo

Como a luz de cada dia!

 

(Mario Quintana)

publicado por artedasao às 13:42

Sábado, 07 de Dezembro de 2013

(O porta incenso é de vidro Craquelado a caixa em madeira pintada e forrada de papel)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Chego em casa

 

Encontro apenas seu perfume

Alimento certo, nutritivo pro ciúme

Um bilhete escrito com batom me diz assim:

"Entre um take e outro eu telefono; pense em mim"

Pra me relaxar, ligo a televisão

Mas que tolice a minha

Triste tentativa em vão

Ela me aparece com alguém que não sou eu

Vejo noutros braços tudo, aquilo que é meu.

 

Vejam só vocês; que foi que eu fiz

Fui-me apaixonar por uma actriz.

 

Outra vez eu tento controlar meu coração

Mas meu controle é mais remoto

Que o que eu tenho em minha mão

Fecho os olhos, tento não pensar

Mas não consigo

Com ou sem controlo

É sempre nela que eu me ligo.

Vejam só vocês; que foi que eu fiz

Fui-me apaixonar por uma actriz.

 

O telefone toca, ela me chama

Me lembra que me ama

Aquela voz macia

Diz que tem ciúme e quer saber

Se nela eu pensei

Durante todo o dia.

 

(Roberto Carlos

 

publicado por artedasao às 13:12

Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2013

(Imagem capturada no Jardim Serralves) Quando algo acabar ou simplesmente for embora. Lembre-se que as folhas do Outono não caem. Porque querem….. Mas sim porque chegou a Hora…!

(karOl cOrreia)

 

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Outono

 

 

O sopro do vento esfria as noites,

mas as tardes continuam mornas,

e o mar espraia-se preguiçoso

nas pedras estendidas da praia.

 

Paisagem que reflecte a vida,

encurta os dias, amplia as noites

e a vida como uma leve pluma,

com a brisa segue meio perdida.

 

Amarelecidas agora rolam as folhas

no chão de uma paisagem outonal,

as árvores nuas, sem mais flores,

são serenas sombras no madrigal.

 

Como uma réstia de sol no mar,

faz-se da vida um entardecer,

Folhas e flores vão descansar,

os sonhos serão um rio a correr.

 

(sonia schmorantz)

 

publicado por artedasao às 18:47

Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2013

Ligue o som, ouça sua música preferida, acenda um incenso, atraia bons fluidos, faça o que você gosta e quando você se der conta, o problema já terá saído de fininho.

(Rayana Krambeck)


                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Poesia do amor


 

Muito agradável este cheiro teu,

mesclado ao aroma do incenso.

Esqueço até mesmo quem sou eu,

sem saber, ao menos, no que penso.

 

Os teus lábios na mesma taça de vinho,

aonde os meus, marcados também estão,

fazem, dos nossos apenas um carinho.

Duas mentes ligadas, numa só emoção.

 

Na parede, feito tela, a paisagem.

Contornos que identificam o amor.

Fundimo-nos numa mesma imagem.

Na sombra, não há distinção de cor.

 

Na fogueira, somos chama que se renova.

Nossa fusão amorosa se dá no abraço.

Uma teoria, em prática, posta à prova.

Dois corpos ocupam o mesmo lugar no espaço.

 

(Maria da Consolação)



publicado por artedasao às 20:24

pesquisar
 
Abril 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro