TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Terça-feira, 31 de Julho de 2012

Aqui, nessa janela, ouço tudo o que acontece lá fora, e mesmo assim me sinto mais alheia, minha janela não me mostra o que acontece do lado externo, a janela me mostra o que acontece aqui dentro. Ela serve apenas pra levar minhas mágoas que se tornam leves, e saem voando por ai. Escuto conversas bobas e me sinto melhor, percebo cada vez mais que não pertenço a esse grupo de pessoas hipócritas, preconceituosas e ignorantes, que possuem uma liberdade acorrentada, presos a um tradicionalismo imbecil.

Assim vou, me permitindo, vou vivendo uma vida realmente minha, uma vida que acabei de conhecer e que me acompanhará enquanto eu durar. Quanto tempo, vou durar? Não sei, talvez até amanhã, talvez Eternamente.

 

(Zade Bretas)

                                       »»»»»»»«««««««

                                       »»»»»»»«««««««

publicado por artedasao às 15:08

Segunda-feira, 30 de Julho de 2012

Becos escuros

Ruas, desertas

Sombras, sussurros

Noites e frestas

Frio na espinha

Beijos roubados

Sexo e vertigem

Amor e pecados

 

Tudo que um dia já foi o motivo

Pra tanto mistério e prazer

Apodreceu nosso fruto proibido

E eu vim aqui hoje só pra dizer

  

Restos e sobras

Porta dos fundos

Senhas secretas

Sonhos ocultos

Fugas, mentiras

Culpas e falhas

Muita espera pra

Poucas migalhas

 

Eu quero, te olhar de um lugar diferente

Eu quero a chave

A chave da porta da frente

Eu quero agora e eu quero pra sempre

 

(Leoni e Frejat)

                                          »»»»»»»«««««««

                                          »»»»»»»«««««««

publicado por artedasao às 10:49

Domingo, 29 de Julho de 2012

Houve um tempo em que minha janela se abria

Sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.

Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.

Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,

E o jardim parecia morto.

Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde,

E, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.

Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.

E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.

Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.

Outras vezes encontro nuvens espessas.

Avisto crianças que vão para a escola.

Pardais que pulam pelo muro.

Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.

Borboletas brancas, duas a duas, como reflectidas no espelho do ar.

Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega.

Às vezes, um galo canta.

Às vezes, um avião passa.

Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.

E eu me sinto completamente feliz.

Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas,

Que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem,

Outros que só existem diante das minhas janelas, e outros,

Finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.

 

(Cecília Meireles)

                                         »»»»»»»«««««««

                                         »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 11:56

Sábado, 28 de Julho de 2012

Bilro é uma ferramenta em madeira onde é colocada a linha que vai sendo consumida à medida que o trabalho se vai realizando e assim fazer as famosas Rendas de Bilros que mantém uma grande tradição especialmente em Vila do Conde e em Peniche. Esta Arte de dedilhar os Bilros já é muito antiga nestas zonas, presume-se que chegou a Portugal a partir do Século XVI. Se não conheces e queres ver esta tradição visita a 35ª Feira do Artesanato até ao dia 5 de Agosto 2012 em Vila do Conde e aprecia esta arte ao vivo, realizado por Jovens e Adultos.

 

(Arte da São)

                                      »»»»»»»«««««««

                                      »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 11:11

Sexta-feira, 27 de Julho de 2012

Vale a pena visitar esta Feira que se realiza pela 35ª vez em Vila do Conde até ao dia 5 de Agosto e que as Rendas de Bilros são o seu tema mais forte, mas também podem ser apreciados artesãos que inovaram muito a sua arte de bem fazer.

 

                                        »»»»»»»«««««««

                                        »»»»»»»«««««««

 

 

publicado por artedasao às 12:23

Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Neste cantinho que é nosso

Nesta terra tão querida

A cantar sorrindo, posso      

Pedir a paz e a vida

 

Nesta vida, faz o bem

Aprende a saber amar

Só é pobre quem não tem

Um pouco de si pra dar

 

Junta a tua à nossa voz

E vem cantar pedir paz,

Na terra que somos nós

Com amor tudo se faz

 

Somos mulheres corajosas

Audazes e verdadeiras

De espinhos fazemos rosas

No mundo somos primeiras

 

(Arte da São)

                                          »»»»»»»«««««««

                                          »»»»»»»«««««««

Portugal é Lindo (Bom Jesus Braga)

 

publicado por artedasao às 11:59

Quarta-feira, 25 de Julho de 2012

Já parou para pensar em quanto uma garrafa de vinho é algo filosófico? O homem pode aprender muito com uma garrafa de vinho, mais do que com muitas pessoas. O vinho para ser concebido, primeiro precisa-se preparar o terreno, depois plantar, cuidar e zelar pelo que plantou para assim colher bons frutos. Logo após se extrai dos frutos o que se tem de melhor descartando tudo aquilo que não presta, e quando se acha que tudo está bem coloca-se em uma garrafa e com o passar dos anos é só ficar melhor. Prepare seu terreno com conhecimento, plante suas ideias, zele pelo que plantou com trabalho, colha os frutos, extraia tudo de bom (experiência) e coloque tudo em uma garrafa chamada sabedoria que com o passar dos anos se transformará em realização.

 

(Thiago Faria Nascimento)

                                       »»»»»»»«««««««

                                       »»»»»»»«««««««

Garrafa forrada a sarapilheira

 

publicado por artedasao às 10:59

Terça-feira, 24 de Julho de 2012

É muito comum circular pelas redes sociais fotos de cães e gatos mal tratados ou que precisam de adopção.
Estas acções são nobres com estes seres vivos em apuros. Na verdade, nenhum ser vivo merece isso...

Mas o que você está fazendo com o seu semelhante?

Ser humano não precisa de adopção?

As crianças não precisam de amparo e alimentação?

Você não se solidariza, pois elas são mais "difíceis de adestrar"?

Você finge "Cegueira Social" pois eles não se contentam apenas com ração e água?

Você chama atenção para os animais, pois (ainda) não existe "Hotéis para crianças “na qual quando você viaja ele ficaria lá?

Com tristeza, percebo que o ser humano não compreende (ou foge da compreensão) que o cãozinho de amanhã precisará ser cuidado pela criança de hoje.

Não maltrate nem desampare nenhum ser vivo, mas NUNCA ESQUEÇA que o ser humano faz parte desta fauna.

Diga não ao desamparo e a violência infantil.

 

(Cléber Martins)

                                           »»»»»»»«««««««

                                           »»»»»»»«««««««

publicado por artedasao às 11:36

Segunda-feira, 23 de Julho de 2012

Num período muito rico para a Industria Têxtil, nas décadas de 40/60 do Século passado o Sr. Comendador Delfim Ferreira de Riba D’Ave, criou várias empresas entre elas, as antigas fábricas do MINDELO e a VALFAR, (ambas terminaram o seu ciclo de vida). A VALFAR, mais tarde deu lugar à NARFIL  as duas deram emprego a milhares de Vila-Condenses, esta última faliu em 2004 e o que resta, é esta chaminé que vai ser preservada como símbolo maior do que foi Vila do Conde no panorama têxtil. Do lado esquerdo pode ver-se o majestoso Convento de Santa Clara e do lado direito ao fundo não deixa de se ver o aqueduto com os seus arcos, que transportava água para o chafariz do Convento.

 

(Arte da São)

                                        »»»»»»»«««««««

                                        »»»»»»»«««««««

publicado por artedasao às 11:26

Domingo, 22 de Julho de 2012

Há dias em que não conseguimos encaixar as peças do puzzle que nos completam a alma. E esses dias tendem a ser frustrantes, ente diosos, vazios, de tal maneira calmos que se torna enervante a situação de melancolia em que nos sentimos envolvidos. Esses dias não servem apenas para nos transtornar o coração e parti-lo em mil pedaços, de maneira a poder ser reconstituído e reconfortado, mas servem para nos fazer crescer, para nos fazer entender que por mais que a vida não seja um constante turbilhão de sentimentos enternecedores, os dias menos bons ajudam-nos a fazer uma retrospectiva profunda daquilo que fomos, que somos e que queremos vir a ser. Esta retrospectiva ajuda-nos posteriormente a encarar a vida com outros olhos, olhos de quem tem um rumo a seguir, de quem tem objectivos a alcançar, de quem sabe o que deseja para si, de quem sabe aproveitar os pequenos nadas da vida que são por si só a chave mestra para a felicidade.

 

(Andreia Ferreira)

                                        »»»»»»»«««««««

                                        »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 11:46

Sábado, 21 de Julho de 2012

É tempo de plantação, não queira colher antes da hora que os frutos não saem maduros,

Espere, tenha paciência, o sucesso não foi feito para os afobados,

Aprenda a capinar, plantar, e tratar para que seu fruto seja saudável,

Estude, prepare-se, cresça..

Viva o hoje mas não esqueça que o mundo não acabará junto com teu copo de Whisky!

Saiba que amanhã o Sol nascerá e poderá ser tarde para começar,

Pense que a vida não se resume a uma noite.

Nossos frutos de amanhã serão resultados das sementes que plantarmos hoje....

E você já escolheu o que plantar?

 

(Tainã Marinelli)

                                           »»»»»»»«««««««

                                           »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 11:10

Sexta-feira, 20 de Julho de 2012

De repente como num filme me vi pequena, brincando na areia, chutando a água. Nessa hora eu ri sozinha e depois chorei. Chorei de saudade desse tempo, onde éramos todos inocentes e as brincadeiras não machucavam, onde as pessoas não nos magoavam e os sentimentos eram valorizados de alguma forma.

 

(Graycielly)

                                 »»»»»»»«««««««

                                 »»»»»»»«««««««

 

Uma coisa aprendi quando criança e brincava com areia: Não dá para segurar a areia por muito tempo, ela escorre entre os vãos dos dedos mas ainda assim, ficam umas pedrinhas na mão. Na época, eu achava que eram preciosas. E hoje, tenho certeza disso.

 

(Poetriz)

 

publicado por artedasao às 11:19

Quinta-feira, 19 de Julho de 2012

Foi debaixo deste tecto a 340 metros de profundidade na Barragem do Alto do Lindoso no Rio Lima, inserida no Parque Nacional da Peneda Gerês, que Paulo Gonzo se dispôs a fazer um concerto único e memorável na noite de 24 de Abril de 2009, interpretando entre outras a canção intitulada “Espelho de Outra Água” que compôs especialmente para a campanha publicitária da EDP.

 

(Arte da São)

                                       »»»»»»»«««««««

                                       »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 16:28

Quarta-feira, 18 de Julho de 2012

D. Teresa começa (1121) a intitular-se «Rainha», mas os conflitos com o alto clero e sobretudo a intimidade com Fernão Peres, fidalgo galego a quem entregara o governo dos distritos do Porto e Coimbra, trouxeram-lhe a revolta dos Portucalenses e do próprio filho, sistematicamente afastados, por estranhos, da gerência dos negócios públicos. Aos catorze anos de idade (1125), o jovem Afonso Henriques arma-se a si próprio cavaleiro – segundo o costume dos reis – tornando-se assim guerreiro independente. Em 1128, trava-se a Batalha de São Mamede (Guimarães) entre os partidários do infante Afonso e os de sua mãe. Esta é vencida, D. Afonso Henriques toma conta do condado e dele vai fazer o reino de Portugal. Lutando contra os cristãos de Leão e Castela e os muçulmanos, Afonso Henriques conseguiu uma importante vitória contra os Mouros na Batalha de Ourique, em 1139, e declarou a independência. Nascia, pois, em 1139, o Reino de Portugal e sua primeira dinastia, com o rei Afonso I de Borgonha (Afonso Henriques).

 

(Texto Geocaching)

                                            »»»»»»»«««««««

 

                                             »»»»»»»«««««««

publicado por artedasao às 12:50

Terça-feira, 17 de Julho de 2012

Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém…

Que o que mais queremos é tirar esta pessoa de nossos sonhos e abraça-la…

Sonhe com aquilo que você quiser…

Seja o que você quer ser…

Porque você possui apenas uma vida

E nela só temos uma oportunidade de fazer aquilo que queremos. 

Tenha felicidade bastante para faze-la doce,

Dificuldades para faze-la forte,

Tristeza para faze-la humana.

E esperança suficiente para faze-la feliz.

As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas,

Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram…

Para aqueles que buscam e tentam sempre…

E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante é baseado num passado intensamente vivido.

Você só terá sucesso na vida quando perdoar os erros e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar…

…Duram uma eternidade…

 

(Clarice Lispector)

                                       »»»»»»»«««««««

                                       »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 14:07

Segunda-feira, 16 de Julho de 2012

Sucesso

Há ao menos duas maneiras básicas de conseguir sucesso na vida. Ou você possui um talento excepcional em alguma área de actividade e explora isso, ou você segue o caminho comum e correcto de disciplina, estudo, esforço, humildade, privações e trabalho para conseguir o que deseja. Em qualquer uma delas, não existe sonhos se realizando da noite pró dia. Nenhuma árvore nasce, cresce e oferece frutos instantaneamente. Tudo demanda trabalho, paciência e dedicação. E também não existe sorte. O que existe é estar no lugar certo, na hora certa - mas não por coincidência, mas por estar activo no jogo! Não existe essa história de marcar um golo estando no banco de reservas. Você tem que estar em campo, chamando o jogo para si, tomando a responsabilidade: a responsabilidade por si próprio, de quem faz a própria vida, e de quem não espera, mas faz acontecer.

 

(Augusto Branco)

                                        »»»»»»»«««««««

                                        »»»»»»»«««««««

 

 

tags:
publicado por artedasao às 15:54

Domingo, 15 de Julho de 2012

Três amores... Quem me deu

Tão estranha sorte assim?

Três amores, tenho-os eu

E nenhum me tem a mim!

 

(Mário Quintana)

                                           »»»»»»»«««««««

                                           »»»»»»»«««««««

Três garrafas de vidro, com aproveitamento decorativo

 

publicado por artedasao às 17:38

Sábado, 14 de Julho de 2012

O sabão tem sua origem por volta do terceiro milénio antes de Cristo, Na Mesopotâmia já se conhecia a 2.500 a. C. Chegou em Roma e na Gália, no século IV. Era um produto de baixa qualidade até o século XVIII quando elaboraram métodos cosméticos e estudos para melhora-lo. Para perceber como funciona o sabão (ou sabonete), é necessário olhar para uma molécula individual do sabão, composta por carbono, hidrogénio e oxigénio. Tem uma “cabeça” que atrai a água e uma cauda de hidrocarboneto que é hidrofóbica (tem “medo” da água) mas adora a gordura e os óleos. A cabeça da molécula de sabão é atraída pela água enquanto, que a cauda é atraída pela gordura do corpo. Quando entramos no banho, a água não penetra bem na pele. Isto acontece porque a tensão de superfície da água não permite que ela se entranhe na pele. Quando usamos o sabão, a ponta hidrofóbica da molécula do sabão tenta fugir o mais que pode da água enquanto, que a outra ponta é atraída pela água. O resultado é uma película que quebra a tensão de superfície da água, permitindo que ela se entranhe na pele. Agora que a água e o sabão conseguem chegar à pele, as moléculas entram na fase 2 do processo de limpeza. Os poros da pele segregam óleos que criam uma barreira que nos protegem do meio exterior. Esta camada de gordura agarra o pó, sujidade, e outras matérias que nos fazem sentir “sujos". Quando a cauda da molécula de sabão (que adora a gordura e os óleos) entra em contacto com a pele, ela agarra-se à camada oleosa que contém as impurezas. Quando passamos água por cima, a cabeça da molécula agarra-se à água e puxa literalmente a sujidade da pele, deixando-nos limpos. Por isso, não se pode dizer que é a água que limpa a gordura, as sim as moléculas de sabão, já que estas estão entre a pele e a água.

 

(Sérgio Ramoz)

                                      »»»»»»»«««««««

                                      »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 22:10

Sexta-feira, 13 de Julho de 2012

Árvore grande e bonita,

Tu que tanta sombra me fazes

Pela tua folhagem tão verdinha que tens,                                                

Deixas-me debaixo e junto a ti descansar.

As tuas raízes fortes e resistentes,

São a tua maior energia...

Junto a ti apanhar um ar fresquinho,

Que tanto é bom para aliviar o calorzinho.

Tento aproveitar todos esses espaços,

Como locais para revitalizar o meu ser!

Dentro de ti germinam novos rebentos

Estes com mais e maior garra,

Que nunca pararão de nos acompanhar

Pela sua intensa vivacidade

Que sombreiam todos os espaços de mais soalheiros.

 

(Frank Mike)

                                     »»»»»»»«««««««

                                     »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 13:48

Quinta-feira, 12 de Julho de 2012

Olha estas velhas árvores, mais belas

Do que as árvores moças, mais amigas,

Tanto mais belas quanto mais antigas,

Vencedoras da idade e das procelas...

O homem, a fera e o insecto, à sombra delas

Vivem, livres da fome e de fadigas:

E em seus galhos abrigam-se as cantigas

E os amores das aves tagarelas.  

Não choremos, amigo, a mocidade!

Envelheçamos rindo. Envelheçamos

Como as árvores fortes envelhecem,

Na glória de alegria e da bondade,

Agasalhando os pássaros nos ramos,

Dando sombra e consolo aos que padecem!

 

(Olavo Bilac)

                                        »»»»»»»«««««««

                                        »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 17:10

Quarta-feira, 11 de Julho de 2012

Que a felicidade não dependa do tempo nem da paisagem, nem da sorte, nem do dinheiro. Que ela possa vir com toda a simplicidade de dentro para fora de cada um para todos. Que as pessoas tenham um amor ou sintam falta de não tê-lo. Que tenham um ideal e tenham medo de perdê-lo. Que amem ao próximo e respeitem sua dor, para que tenhamos certeza de que viver vale a pena.

 

(Letícia Domingueti)

                                       »»»»»»»«««««««

                                       »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 16:19

Terça-feira, 10 de Julho de 2012

Dois...

Apenas dois.

Dois seres...

Dois objectos
patéticos.

Cursos paralelos

Frente a frente...

...Sempre...

...A se olharem...

Pensar talvez:

“Paralelos que se
encontram no infinito...”

No entanto sós por
enquanto.

Eternamente dois
apenas.

 

(Pablo Neruda)

                                  »»»»»»»«««««««

                                  »»»»»»»«««««««

publicado por artedasao às 12:22

Segunda-feira, 09 de Julho de 2012

Atrás dessas grades deve ter um mundo novo, só esperando que eu saia para ser descoberto. Novas pessoas esperando por novos tempos. Novas vidas esperando por novos ares. Só esperando. Eu também espero. Espero um dia sair de casa e ter a certeza de que vou voltar. Ter certeza de que mais uma criança no mundo não é sinal de preocupação e sim de alegria. Eu queria poder ter certezas.

 

(Verónica H.)

                                    »»»»»»»«««««««

                                      »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 12:42

Domingo, 08 de Julho de 2012

A lenda da bilha d’água (S. Jorge Batalha)

 

Estava mesmo muito calor

E o campo de batalha abrasador.

Graças à bilha d’água

Nós vencemos a batalha!

 

Se me derem atenção,

Conto tudo com emoção.

Estavam as tropas cheias de sede

E quase se encostavam às paredes.

 

Antão Vasques, o companheiro,

Foi procurar água no vale inteiro.

Procurou, procurou,

Mas nem uma gota encontrou.

 

Passado algum tempo,

Debaixo do calor e algum vento,

Encontrou uma camponesa.

Que grande aquela surpresa!

 

Ela tinha uma bilha portuguesa

E a Antão Vasques a deu com muita gentileza.

Quanto mais se bebia

Mais a bilha se enchia.

 

 

Retemperava as forças e a sede saciava

Aquela água tão fresca e aveludada.

Perderam os castelhanos, como a história nos contou,

Ganharam os portugueses e esta guerra acabou

 

Na capela de S. Jorge a bilha foi colocada

Para, ao longo dos tempos, a vitória ser lembrada.

 

(Mariana Henriques)

                                     »»»»»»»«««««««

                                     »»»»»»»«««««««

Uma das minhas primeiras pinturas a óleo (A Bilha ou Cântaro)

 

 

tags:
publicado por artedasao às 10:50

Sábado, 07 de Julho de 2012

Contemplo o lago mudo

Que a brisa estremece

Não sei se penso em tudo

Ou se o tudo me esquece

 

O lago nada me diz,

Não sinto a brisa mexe-lo

Não sei se sou feliz

Nem se desejo sê-lo

 

Trémulos vincos risonhos

Na água adormecida

Por que fiz eu dos sonhos

A minha única vida?

 

(Fernando Pessoa)

                                         »»»»»»»«««««««

                                         »»»»»»»«««««««

Pintura a retratar uma Lagoa na Serra da Estrela

 

 

publicado por artedasao às 10:32

pesquisar
 
Julho 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro