TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Segunda-feira, 27 de Agosto de 2012

Organizando algumas fotos antigas de objectos e fotos que pertenciam a minha irmã, lembrei de quantas vezes nos últimos anos, repeti esse gesto.

Revendo aqueles objectos vi um filme passar na minha frente, um filme do qual participei, como coadjuvante. Me senti uma invasora. Esse mesmo acto de catalogar, organizar, doar, fiz com objectos do meu irmão e meu sobrinho, minha tia…. E percebo hoje o quanto damos importância a coisas materiais que simplesmente se tornam pilhas de objectos a serem doados, descartados……

Quantas vezes dá mos tanta importância, tanto cuidado a coisas que foram feitas para se cuidar e não para se amar….

Quantas louças guardadas no armário esperando uma ocasião especial, quando especial é estar vivo, aqui e agora.

As coisas vêm e vão….Hoje as temos amanhã se quebram. Vejo hoje a casa em que ela viveu, construída, sonhada, onde foi feliz e infeliz, onde nasceram seus filhos e onde um morreu, vendida, mudada, invadida por pessoas que não vislumbram o que suas paredes escondem, as risadas, os choros, fantasmas que ficam nas sombras….

Vejo então que nada disso tem valor, hoje me desfaço com facilidade de objectos e coisas e cada vez se torna mais difícil, me desfazer das pessoas que são ou foram importantes na minha vida, não importa o tempo em que estiveram presentes e nem há quanto tempo estão ausentes….

Posso mudar de casa, de País, derrubar paredes doar cada bugiganga, que afinal sempre juntamos, mas os sentimentos ficam, não são vendidos, doados, apagados, às vezes pensamos que eles se foram, mas de repente um som, um cheiro ou uma caixa de fotos como essa que estou remexendo agora os trazem de volta, com toda a força, dor ou alegria como se tivessem acontecido agora mesmo….

Só quero da vida o que posso carregar ao partir, não quero pagar por excesso de bagagem, quero as mãos livres para abraçar as mudanças que sempre vêm, que venham as mudanças, espero por elas de peito aberto…

 

(Barbelavania)

                                           »»»»»»»«««««««

                                           »»»»»»»«««««««

 

 

publicado por artedasao às 12:35

pesquisar
 
Agosto 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
subscrever feeds

SAPO Blogs


Universidade de Aveiro