TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Sexta-feira, 30 de Novembro de 2012

Pintura de Minha Filha Marieta

 

                          >>>>>>>>>>><<<<<<<<<

 

 

                          >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Levanto-lhe a tampa e ela dança só para mim.

Leve e solta rodopia ao som da mesma música dia após dia.

Baixo a tampa e volto a levanta-la de repente e ela repete.

O mesmo gesto com um sorriso no rosto de quem o faz por gosto.

Penso arrancá-la dali. Tirar-lhe um peso das costas.

Quem sabe tem vontade de ir embora...

Sem saber se vai voltar.

Mas, depois de todo este tempo a viver ao mesmo compasso….

Será ela uma menina indefesa ou uma mulher madura?

A duvida persiste solta-la para quê??.

A vida não é mais do que uma caixinha de música que nos faz dia a dia dançar ao mesmo ritmo,

Que nos acena e enche de promessas mas ao final de cada dia voltamos a fechar a tampa e no dia seguinte voltamos ao mesmo ritmo com o mesmo sorriso no rosto de quem o faz por gosto.

Não; não te vou poder tirar.

Não te vou encher de promessas.

Porque a vida é isso mesmo, uma caixinha onde cada um segue a mesma dança dia após dia.

O meu grande mal e de todas nós, é que nos contentamos com pouco e com medo de enfrentar o desconhecido!

 

(Divine)

 

publicado por artedasao às 11:05

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2012

Cidade Berço Capital Europeia da Cultura 2012

 

                              >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                              >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

"Janelas "

 

Disseram-me das rosas que caíam no chão.

Concordo quando achas a janela mais bela aberta.

Supondo sempre que há mais beleza lá fora, e redescobrindo o Sol ardente lá e aqui: aqui, dentro de si.

Sonhar as brincadeiras, as inspirações, as lembranças e a presença da natureza lúdica.

Descobrir que as rosas caem pela sua própria consciência, a de nascer, morrer e renascer, num eterno ciclo.

Porém, de uma janela fechada,

Sei bem de uma eterna frieza.

Não existem rosas para cair em pensamento, nem um brilho de luar de infância.

E se eternamente no escuro,

Não há quem viva além da palidez de sua pele e do reflexo de seu espelho.

O relógio pára. Os retratos amarelam.

A dor cresce. A idade consome.

Mas confio naquela velha chave, que espero não ter enferrujado.

Ela está pronta para abrir a porta e revelar o seu mundo.

Se a porta se abre, o coração lembra do valor de uma janela.

 

(Gabriela Sartomen)

 

 

publicado por artedasao às 11:07

Quarta-feira, 28 de Novembro de 2012

Trabalhado com Guardanapo, Papel de Arroz e Craquelado Transparente

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Eu sou assim... Duas de mim...

Às vezes três... Quatro... Cinco... Seis...

Sou uma por mês, me diversifico.

Tem horas que grito vivo num conflito, mostro ao mundo minha dor;

Outras horas; só sei falar de amor, a mais romântica, melodramática, estática, chorosa e nervosa, carente e decadente, vingativa e inconsequente!

Aí, quando menos percebo, me transformo em mulher cheia de medo, cheia de reservas, coberta de subtilezas, séria ou sem defesa;

No minuto seguinte, no papel de mulher fatal viro logo a tal... Sou dona do mundo, segura e destemida, altiva e atrevida, rasgo meus segredos ao meio e exponho num roteiro de poesia ou texto...

Agrido, inflamo, conto o que ninguém tem coragem de contar, explico detalhes que é bom nem lembrar...

Sou assim... Várias em mim, sorriso por fora, angústia, toda hora, por dentro um tormento, no rosto, algum sofrimento, no corpo; uma explosão de prazer, nos olhos, meu desejo; deixo perceber.

Melhor nem me conhecer, fique com minhas letras, com as minhas palavras, na vida real sou bem mais complicada.

Sou mil em mim e quem tentou, descobriu que viver ao meu lado é viver dentro de um campo minado...

Quem esteve nele... Quis fugir...

E quem ficou... Viu tudo explodir!

Passei pelo nascimento e pela morte, alegria e sofrimento, céu e inferno; e no final eu reconheci que estou em tudo e que tudo vive em mim.

 

(Elaine Bettini de Souza)

 

publicado por artedasao às 10:54

Terça-feira, 27 de Novembro de 2012

Em 27-8-2011 Festa das Flores “Campo Maior” O curioso é a segunda quadra estar com um erro, mas a intenção está lá?

 

                            >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                            >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Estou de Viagem

 

O vento sopra,

O horizonte avança,

A imaginação brota,

Um sonho alcança.

 

Cada canto

Uma nova cidade,

Um ar de encanto,

De felicidade.

 

Lugares acanhados,

Tamanha simplicidade,

Outros avançados,

De prosperidade.

 

Um verde esquisito,

Relevo acidentado,

Galhos retorcidos,

Estou no cerrado.

 

Carros que se cruzam,

Pessoas que passam,

Famílias que se mudam,

Viajantes que se afastam.

 

Estrada sinuosa,

Subindo e descendo,

Curvas perigosas,

Ora dormindo ora atento.

 

Eu prossigo a andar

Contemplando a imagem,

Não posso parar,

Estou de viagem.

 

E a temperatura

Esquenta o carro,

É sol e chuva,

Poeira e barro.

 

O sol no caminho,

Amigo verdadeiro,

Não estou tão sozinho,

É o meu companheiro.

 

Mas chega a hora

De ele se esconder,

Tem que ir embora,

Até ao amanhecer,

 

Não estou preocupado,

A viagem continua,

Olhando ao lado

Eu vejo a lua.

 

Na solidão da noite

Recordações precisamos contê-las,

Na claridade dos pensamentos,

Sobre a luz das estrelas

 

Passo a passo

Avanço nos pensamentos,

No tempo e espaço,

Aproveitando os momentos.

 

Eu prossigo a andar

Contemplando a imagem,

Não posso parar,

Estou de viagem.

 

(Rinaldo Pedro)

 

publicado por artedasao às 10:21

Segunda-feira, 26 de Novembro de 2012

Capela no Monte Santa Cruz (Arcos de Valdevez) curiosidade já preparada para Missa Campal

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

A Capela

 

Ainda é a mesma, a capela

E nela,

No mesmo lugar;

A imagem da Virgem,

No seu pedestal.

 

Continuam no tecto, pintados

Os anjinhos rosados.

Ao lado do altar.

Ajoelhados,

Dois ainda estão a rezar.

 

De joelhos também,

Repito

À Virgem Santíssima,

Outra vez,

A mesmíssima

Oração:

 

"Senhora das Graças,

Faça verdadeiro

Meu segundo pedido,

Já que o primeiro

Sempre me foi negado.

 

Faça seu, Senhora, o meu amado,

Proteja-o em seu caminho,

Que nunca lhe falta o carinho

Que eu mesma lhe teria dado.

 

Dê-lhe boa saúde e paz

E toda alegria que for capaz

De encontrar em sua vida.

E abençoe também aquela

Que for por ele querida

Para que não o deixe sozinho jamais"

 

Mas o meu terceiro pedido

Que á muito é repetido

Não sei se quero realmente.

Peço,

Mas no inconsciente

Nego

Que queira esquece-lo.

Pois se peço

Que cesse essa paixão,

O segundo pedido,

Como fazê-lo?

 

Esta saudade me é tão cara,

Faz-me tanta companhia

Que não sei se não quero tê-la.

 

Lá fora tudo mudou:

Os lugares não são os mesmos,

A rua,

O cinema acabou.

Só resta a capela

Eu nela,

E você,

Para sempre no meu coração

 

(Vera Abad)

 

publicado por artedasao às 11:18

Domingo, 25 de Novembro de 2012

Imagem do Cristo - Rei na Quinta da Granja (Barcelos)

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

Bons Amigos

 

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.

Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.

Amigo a gente sente!

 

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.

Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.

Amigo a gente entende!

 

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.

Porque amigo sofre e chora.

Amigo não tem hora pra consolar!

 

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.

Porque amigo é a direcção.

Amigo é a base quando falta o chão!

 

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.

Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.

Ter amigos é a melhor cumplicidade!

 

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,

Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!

 

(Machado de Assis)

 

publicado por artedasao às 16:48

Sábado, 24 de Novembro de 2012

Feira Medieval (Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012)

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Frágeis criaturas somos nós

Vestidos com armaduras tão insossas

Vivemos como imortais e delinquentes

Não nos damos contas de tal qual é vulnerável a vida

Quando o medo ou a solidão nos atinge nos sentimos como um grãozinho de ervilha

Esquecemos de dar valor as pequenas alegrias da vida e quando elas se tornam dor é que vemos como ela faz falta

O sorriso

Como é lindo, como é invejado pela dor

Ele é o elixir da alma

Desopila o fígado e trás brilho aos olhos

Sorrir, nada melhor e saboroso na vida

Sorriso é vida, é saúde

Quando o perdemos nos tornamos doentes e solitários

Ninguém suporta uma pessoa infeliz

Quando você perde seu sorriso, perde com ele, seus amigos

Perde a esperança de viver

Desestrutura-se

E se transforma em um ser de pedra

Não perca a oportunidade de sorrir

Não deixe que nada e ninguém lhe roubem este bem tão precioso

Viva feliz, pois só quem perdeu este dom sabe como é difícil reencontrá-lo.

 

(Miriam Lewer)

 

publicado por artedasao às 10:36

Sexta-feira, 23 de Novembro de 2012

Quinta da Granja

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Que ilusão a minha de achar que a árvore se mantém para sempre erecta, firme e forte…

As raízes se não bem cuidadas perdem a força…

Se não cultivadas,

Banhadas de sol, de chuva, de luz e calor se esvaem como o tempo e o vento que tudo levam…

Um dia acordei e percebi que não estava ali por ter raízes,

Estava ali por estar….

Pelo ficar…

Pela cómoda sensação falsa de lar…

Pelo meu querer acreditar…

Mas, o vento levou…

O tempo passou….

Eu também passei!

Apenas me deixei ficar, porém, sem mais estar…

Hoje, percebi que as minhas raízes não estão no chão…

Não estão no ali…

Elas estão no que está por vir…

É hora de partir!

Experimentar outros solos, noutras terras

Frutificar e criar novos frutos…

 

(Viviane Dick)

 

 

publicado por artedasao às 10:39

Quinta-feira, 22 de Novembro de 2012

Feira Medieval (Guimarães)

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

A dor é como a lenha numa fogueira; quanto maior a dor, maior o fogo; quanto maior a importância, maior a quantidade de lenha, e a lenha só queima uma única vês.

Se uma coisa ainda te machuca tanto, ou parece que o fogo sempre volta a queimar, então pare de jogar lenha na fogueira, que a dor cessará.

 

(Johnatan Oliveira Wanderley Santos)

 

publicado por artedasao às 13:56

Quarta-feira, 21 de Novembro de 2012

Pedras Parideiras são um fenómeno geológico raro, um tipo de pedras que brotam de uma rocha mãe, daí se chamarem Parideiras.

As Pedras Parideiras são um fenómeno raro no Planeta Terra e estão situadas na Serra da Freita (Arouca) em Portugal e na Rússia, perto de S. Petersburgo.

 

(Arte da São)

 

                           >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                           >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Não te atenhas neste mundo a esquecer-se de olhar as flores

E a dares demasiada atenção às pedras em teu caminho

Pois ao dares atenção para as pedras

Elas continuarão sendo o que sempre são sem que seja necessário que tu te importes com elas:

Umas pedras!

Enquanto as flores

Se não são olhadas

Entristecem e morrem.

Olhai, portanto, para as coisas boas do mundo

E dê atenção especial para as flores

Para que elas continuem sempre vivas e alegres

Perfumando e colorindo o teu caminho!

 

(Augusto Branco)

 

publicado por artedasao às 10:59

Terça-feira, 20 de Novembro de 2012

Mais um trabalho Craquelado com Colagem de Papel

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Sou do dia, mas sei viver na noite!

Sou da água, mas tive que aprender a lidar com o fogo!

Sou do bem, mas vivo me deparando com maldades!

Sou da alegria, mas já me peguei chorando por mim ou por alguém!

Sou do trabalho, mas sei fazer uma boa farra!

Sou assim, se agrado não sei... Mas sou assim!

Sou da justiça, porém muitas vezes injustiçada!

Sou do amor, porém nem sempre amada.

Sou da compreensão, mas muitas vezes incompreendida...

Sou da ajuda, mas muitas vezes tentam-me atrapalhar...

Sou assim, se errado não sei... Mas sou assim!

Sigo, Luto, Batalho, sou da guerra, mas prefiro a paz!

Sou do Sol, mas adoro a sombra...

Sou do acerto, mas já errei muitas vezes!

Sou do perdão, e perdoarei quantas vezes meu coração suportar!

Sou assim, se certo não sei, mas sou verdadeira!

Sou alguém que vive em busca de coisas simples!

Sou aquela que busca mais a atitude do que a promessa.

Sou quem corre como uma louca em busca de coisas que alguns até fogem!

Sou aquela que prefere a verdade que machuca, que a mentira que agrada!

Sou aquela que agora reconhece os próprios defeitos e isso é uma qualidade!

Sou aquela que sabe a hora de calar, mas nem sempre calo!

Sou aquela que sabe a hora de falar, porem se convém: não falo!

Sou o contrário do que muitos acham, mas sou exactamente como poucos dizem!

Conhecidos, milhares! Colegas, centenas!

Amigos, não mais que os dedos das mãos!

 

(Luiz Prado)

 

publicado por artedasao às 11:28

Segunda-feira, 19 de Novembro de 2012

Feira Medieval em Guimarães (Capital Europeia da Cultura 2012)

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

As melhores armas do mundo:

Uma arma contra a tristeza: A alegria.

Uma arma contra o ódio: O amor.

Uma arma contra o preconceito: A consciência de que somos todos iguais.

Uma arma contra as lágrimas sofridas: Um ombro: amigo.

Uma arma contra a ignorância: O conhecimento.

Uma arma contra a impunidade: A justiça.

Uma arma contra a solidão: A amizade.

Uma arma contra a falsidade: A indiferença.

Uma arma contra a guerra: A paz.

Uma arma contra todos os males: A fé.

Reclamamos tanto da violência, porém deixamos de utilizar as armas que nós possuímos. Esse conjunto de armas não é proibido por lei, portanto você pode utilizar à vontade.

 

(Wallyson Ribeiro)

 

publicado por artedasao às 11:15

Domingo, 18 de Novembro de 2012

Serra da Freita (Arouca)

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

Poesia por acaso

 

Sem inspiração estou agora.

Tento atiçar a imaginação mas ela demora.

Não consigo pensar em algo que faça rima.

É como querer acertar o alvo com a flecha apontada para cima.

Não acho um bom assunto que se organize bem em versos.

Mesmo sabendo que no mundo há mil assuntos diversos.

Que coisa chata, não consigo imaginar.

Isso quase me mata, porque é horrível não poder pensar.

 

Mas espere um momento,

Mesmo não tendo um tema,

Se estas frases; vou relendo,

Vejo que é um poema!

 

(Clarice Pacheco)

 

publicado por artedasao às 14:49

Sábado, 17 de Novembro de 2012

Feira Medieval (Guimarães)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Acho a maior graça. Tomate previne isso, Cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas não exagere...

Diante desta profusão de descobertas, acho mais seguro não mudar de hábitos.

Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde.

Prazer faz muito bem.

Dormir me deixa 0 km.

Ler um bom livro faz-me sentir novo em folha.

Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois rejuvenesço uns cinco anos.

Viagens aéreas não me incham as pernas; incham-me o cérebro, volto cheio de ideias.

Brigar me provoca arritmia cardíaca.

Ver pessoas tendo acessos de estupidez me embrulha o estômago.

Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano.

E telejornais... Os médicos deveriam proibir - como doem!

Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo, faz muito bem! Você exercita o autocontrolo e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada.

Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde!

E passar o resto do dia sem coragem para pedir desculpas, pior ainda!

Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou mozarela que previna.

Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espectacular, uau!

Cinema é melhor pra saúde, do que pipoca!  

Conversa é melhor do que piada.

Exercício é melhor do que cirurgia.

Humor é melhor do que rancor.

Amigos são melhores do que gente influente.

Economia é melhor do que dívida.

Pergunta é melhor do que dúvida.

Sonhar é melhor do que nada!

 

(Martha Medeiros)

 

publicado por artedasao às 11:19

Sexta-feira, 16 de Novembro de 2012

Painel de Azulejos no Monte Santa Cruz (Arcos de Valdevez) Autoria Zé Mokuna Maio de 2001

 

                              >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                              >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

Caçador de Mim

 

Por tanto amor

Por tanta emoção

A vida me fez assim

Doce ou atroz

Manso ou feroz

Eu caçador de mim

 

Preso a canções

Entregue a paixões

Que nunca tiveram fim

Vou-me encontrar

Longe do meu lugar

Eu, caçador de mim

 

Nada a temer senão o correr da luta

Nada a fazer senão esquecer o medo

Abrir o peito a força, numa procura

Fugir às armadilhas da mata escura

 

Longe se vai

Sonhando demais

Mas onde se chega assim

Vou descobrir

O que me faz sentir

Eu, caçador de mim.

 

(Luís Carlos Sá e Sérgio Magrão)

 

 

publicado por artedasao às 12:28

Quinta-feira, 15 de Novembro de 2012

Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Quem sou eu?

 

Eu, às vezes não entendo!

As pessoas em um jeito

De falar de todo mundo

Que não deve ser direito.

 

Aí eu fico pensando

Que isso não está bem.

As pessoas são quem são,

Ou são o que elas têm?

 

Eu queria que comigo

Fosse tudo diferente.

Se alguém pensasse em mim,

Soubesse que eu sou gente.

 

Falasse do que eu penso,

Lembrasse do que eu falo,

Pensasse no que eu faço

Soubesse porque me calo!

 

Porque eu não sou o que visto.

Eu sou do jeito que estou!

Não sou também o que eu tenho.

Eu sou mesmo quem eu sou!

 

(Pedro Bandeira)

 

publicado por artedasao às 10:55

Quarta-feira, 14 de Novembro de 2012

Na Cidade Berço (Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012)

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Não adianta. Mudam-se as cores do inverno, os sorrisos, as páginas das revistas, as dez mais bonitas. Mudam-se as tecnologias, as manchetes, o preço do pão, o jeito como você corta o cabelo. Mudam-se os sonhos, o clima lá fora, o tom do batom, a decoração, o que você espera de si mesma. Tudo muda o tempo todo. Mas uma coisa não muda. Não sai de moda. Não fica velho, nem ultrapassado. Quer saber? Acho amar a coisa mais eterna que existe. Não á nada, mais moderno. Mais transgressor. Mais ousado – e mais antigo – que isso. Num tempo onde as pessoas mal têm tempo, amar virou coisa de gente corajosa. Porque é preciso muito peito (e muito jogo de cintura) para seguir o que temos de mais criativo: o coração.

É o amor que nos faz ver o mundo de um jeito mais belo. E é o amor (e só ele!) que nos traz o valor exacto das coisas simples. E você não precisa necessariamente amar uma pessoa. O amor é democrático. Você pode – e deve – amar a si mesmo e ao mesmo tempo amar alguém (essa, sim, é a melhor combinação!). E também amar a vida. Amar um projecto. Um trabalho. Um sonho. Ou – porque não? – Simplesmente amar o amor. Se todo amor vale a pena? Eu acredito que sim. O mundo não está triste só por causa das guerras, do superaquecimento global e do tal “salve-se quem puder” As pessoas se escondem atrás das tecnologias e de um falso liberalismo pra camuflar seus medos. Para enganar seus desejos. Á me desculpem, mas no fundo todo mundo quer mais é se apaixonar! Mentira minha? Duvido. Todo mundo quer amar, todo mundo quer encontrar alguém especial, todo mundo quer se livrar do medo que nos impede de andar de mãos dadas. É certo que á quem prefira o morno, os relacionamentos superficiais, as noites vazias. (Relacionamentos trazem tantos problemas e alegrias quanto estar só, isso é uma verdade). Mas tenho a impressão de que todos nós temos um leve romantismo escondido, um desejo real pelo amor, uma necessidade de amar e ser amado sem a qual a vida não teria graça. (E não haveria tantos poetas, tantas canções bonitas e tanta insónia por aí).

Escrevi, uma vez, uma letra onde canta a seguinte frase: “Será que amar é mesmo tudo”? Na época eu não saberia responder. Mas, hoje, cheguei a uma breve conclusão: não, amar não é tudo. É quase tudo. Amar é o começo. O primeiro parágrafo. A primeira nota. É o que canta (e encanta). Amar é que nos faz falar. É o que nos faz acordar. É o que nos faz dizer “Bom dia” com o sorriso mais livre do mundo. Se eu estou amando? É, devo admitir. Depois de vários romances sem fim, me apaixonei por mim mesma. E, como presente, ganhei um novo amor que é fruto de todos os grandes amores que tive. Sorte minha? Talvez. Mas amor não é apenas sorte. Não pensem também que amor é a solução pra todos os nossos problemas. Não. Amor não é solução. Amor é prémio. Recompensa feliz para quem – afinal de contas – conseguiu manter-se fiel a si mesmo. Por isso, escrevo esse texto. Em uma época em que os desejos duram o tempo de uma estação, acho o AMOR o exercício mais radical que podemos fazer.

 

(Fernanda Mello)

 

 

publicado por artedasao às 11:34

Terça-feira, 13 de Novembro de 2012

Feira Medieval na Cidade Berço (Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

A vida é uma peça de teatro que nós estriamos quando nascemos e acaba quando dormimos para sempre.

A cada dia ao acordarmos iniciamos um pequeno capítulo dessa grande peça, mas todo capítulo mesmo sendo pequeno é indispensável para o grande show da vida.

 Cada dia, mesmo que não pareça, tem algo especial. Pode ser o dia mais simples de todos, mas é naquele dia que você recebe aquele sorriso especial e se apaixona... É naquele dia que você conhece aquela pessoa que será seu amigo até o final do espectáculo... É naquele dia que simplesmente, nada acontece mas você se descobre.

Todo capítulo da peça tem sua beleza, até os mais tristes... A beleza está no brilho de tristeza que aparece no olho e dele nasce uma lágrima... Está no sentimento que escorre pelo rosto.

A beleza está na mudança que ocorre durante o grande espectáculo da vida... Está no amor que é descoberto pelo simples olhar...

Esta peça contém muitos personagens... Alguns ficam até o fim, outros só passam, e outros terminam seu próprio espectáculo antes do nosso. Os que ficam são aqueles que conseguiram cativar o nosso coração e que com certeza nós nunca nos esqueceremos de sua actuação incrível na nossa peça.

A beleza disso tudo está simplesmente em todos os momentos, em todos os capítulos, em todas as pessoas, em todos os sorrisos, todos os olhares, todas as lágrimas está na vida que se passa.

Quem faz a sua peça bela, incrível, emocionante, apaixonante... É você mesmo e mais ninguém. Faça do seu espectáculo único, belo, cheio de amor... Que assim o show será considerado grande e maravilhoso... Como deve ser... Pois é a vida.

 

(Sabrina Villela)

 

publicado por artedasao às 10:42

Segunda-feira, 12 de Novembro de 2012

Penedo do Castelo de Santa Cruz (Arcos de Valdevez)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

O PEDREIRO E O CASTELO

 

Conheci um Pedreiro que dedicava sua vida a realizar seu maior sonho: ele queria construir um Castelo.

Mas ele trabalhava sozinho, seus recursos eram poucos, e havia dias em que ele nem conseguia avançar na Obra, mas ele persistia em sua tarefa ano após ano, até que o tempo de seus dias chegou ao fim, e eram muitos os que lamentavam o fato de ele nunca ter realizado seu sonho de terminar o Castelo, ao que ele retrucou com um leve sorriso em seu leito de morte: enganam-se todos, dizia ele. Me senti extremamente feliz e realizado todos os dias, ao assentar cada pequeno tijolo!

Atentai, pois, nestas palavras:

Teus sonhos não são construídos no futuro, mas no presente;

Haverá problemas e dificuldades, mas também haverá vitórias;

Aproveite, portanto, cada momento, caminhando e construindo por que a Felicidade não está no fim, mas no caminho.

 

(Augusto Branco)

 

 

publicado por artedasao às 10:54

Domingo, 11 de Novembro de 2012

Cidade Berço (Capital Europeia da Cultura 2012)

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

Seu coração

 

Seu coração é o sol ao meio dia,

Água que brota da fonte de água boa,

Você e mais certeira que poesia

De Chico, de Bandeira, de Pessoa...

 

É livre, como a lua quando brilha,

É leve, como um pássaro quando voa,

É soberana, feito a Estrela-guia,

É suave, como a mão quando abençoa,

 

Prudente, porque sabe aonde é que pisa,

Você possui a discrição da brisa

E a estabilidade da canoa...

 

A sua elegância desestabiliza...

Você me desarruma e me organiza,

Por isso, às vezes, sonho, rindo a toa...

 

(Luis Tavares)

 

 

publicado por artedasao às 10:45

Sábado, 10 de Novembro de 2012

Trabalhada com Découpage e Craquelada

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

                                 

                                    »»»»»»»»»»««««««««««

 

A humildade é uma nobre virtude que está, oculta nos mais profundos recantos do coração humano. Encontrá-la e potenciá-la a um elevado grau são condições indispensáveis para atingirmos a sabedoria e sermos humanos no sentido pleno da palavra.

Mede-se a sabedoria de um homem pela humildade com que ele revela seu conhecimento, e não pelo conhecimento que ele aparenta ter.

Cavalgar furiosamente sobre os sentimentos dos outros, vasculhando falhas e tecendo-lhes criticas, é uma atitude mesquinha, que provoca mágoa e ressentimento, bloqueando os efeitos que mais desejamos. Porém, cultivar a humildade, reconhecendo através do elogio sincero, as capacidades e esforços alheios, nutre-nos com a doce admiração das pessoas e abre horizontes para que nossas palavras e desejos de mudança tenham eco, materializando-se.

Orgulhoso e ensimesmado, um palestrante subiu ao palco para falar à plateia. Concentrou sua falácia no quanto os “outros” estavam errados, no quanto precisavam mudar. O tempo todo procurou chamar a atenção do público sobre sua “extraordinária” capacidade de detectar falhas e consequentemente, concertar o mundo.

Nesse meio tempo, a incongruência falou mais alto. As mascaras da arrogância e da falta de humildade romperam-se, desnudando-o. E, sentindo que suas palavras não tiveram eco, desceu cabisbaixo.

Um velho sábio, que a tudo assistia, disse-lhe:

Meu caro, se você tivesse subido como desceu, certamente teria descido como subiu.

A humildade é o último degrau da sabedoria!

 

(Fonte Orvalho para Alma)

 

 

 

publicado por artedasao às 10:42

Sexta-feira, 09 de Novembro de 2012

Charrete na Cidade de Guimarães

 

                                  »»»»»»»»»»««««««««««

                                  »»»»»»»»»»««««««««««

 

Além de eles serem animais lindos, imponentes e que transmitem força e respeito, eles são animais que podem ser muito fiéis se você souber conquistar sua cooperação e seu coração. Um cavalo pode ser seu melhor amigo. Ele pode-te ouvir quando ninguém mais ouve; quando você estiver triste um bom galope vai-te animar. Se você conquistar o coração de um cavalo, você terá um amigo para toda a vida.

Um cavalo jamais te vai deixar na mão, nunca te vai fazer chorar, a não ser que ele se vá; um cavalo, mesmo estando cansado, machucado, quase sem forças pra continuar, vai persistir com você aonde você for, não te vai abandonar no meio do caminho, ele vai ficar lutando ao seu lado até que suas forças acabem definitivamente. Um cavalo será fiel a ti em todo o momento, ele não vai, nunca, te trocar por outra pessoa; ele vai ser tudo pra você.

É inexplicável como um animal tão poderoso pode se tornar tão submisso a nós, humanos. Mas é com amor e não com violência ou impaciência que se conquista a fidelidade de um cavalo. Você tem que merecer a amizade dele, tem que mostrar que vai dar a mesma amizade que ele te vai oferecer.

Um cavalo não vai se importar se você é rico ou pobre, branco ou negro, são ou louco. Ele não vai reparar se você pinta as unhas, arruma o cabelo ou se veste com roupa de marca. Ele vai-te amar pelo que você é, e não pelo que aparenta ser ou pelo que tem. Ele não te vai exigir presentes caros, o seu carinho e algumas cenouras já serão o suficiente para fazê-lo feliz. Não vai ter que se preocupar em agradá-lo. O fato de ter um bom dono já o agrada.

Um cavalo nunca vai mentir para você, nunca será falso. Ele não vai se deixar iludir por promessas falsas ditas por pessoas falsas. Ele não vai trocar você por um final de semana na praia, um passeio ou uma ida cinema com os amigos. Ele vai fazer o bem para você sem querer nada em troca, coisa difícil de achar nos dias de hoje. Um cavalo sempre estará disponível para falar com você, não importa a hora do dia.

Ele vai-te ouvir, não importa quão loucas sejam as suas teorias. Suas respostas, muitas vezes silenciosas, te darão conforto. O olhar sincero dele quando você está indo embora vai fazê-lo sentir a amizade e o amor que existe entre vocês. Ele vai fazer você sentir que é alguém, mesmo quando nada é. Ele que vai ter segurar no planeta quando der vontade de morrer. Ele só terá olhos pra você.

Ele se tornará o amor de sua vida, ou o motivo de haver amor em sua vida. Quando mais ninguém se lembrar de você, quando não houver quem te dê valor, ele vai pôr o focinho em seus ombros, te mostrando que ele se importa com você. Você esquecerá todas as suas mágoas quando estiver com ele, e se não as esquecer, ele vai-te ensinar a esquecer.

Muitas vezes meu cavalo é o único que sabe, me fazer feliz, me dar valor, me compreender. Por isso gosto tanto deles. Cada cavalo é único, cada um possui manias e personalidades diferentes. É isso que faz deles tão especiais pra mim. Um cavalo mudou minha vida. Se permitir, um deles poderá mudar a sua também.

 

(Nayeeh)

 

 

publicado por artedasao às 10:38

Quinta-feira, 08 de Novembro de 2012

Monte Santa Cruz (Arcos de Valdevez)

 

                                »»»»»»»»»»««««««««««

                                »»»»»»»»»»««««««««««

 

O Conto do Castelo e das Flores.

 

Um dia um jovem conheceu um senhor, que, cruzou seu caminho. O jovem percebeu que o senhor tinha algo de diferente, hora por suas atitudes, hora por suas palavras e por vezes por suas reacções. Depois de algum tempo de convivência entre o fervor da juventude, que tem a cede de novas coisas, cede de crescimento, por muitas vezes desorientado e a calma dos anos de vivência e experiência do velho o jovem fez a seguinte pergunta:

- Não sou como você, não me igualo a suas qualidades, por muitas vezes contrariei seus conhecimentos, por muitas vezes joguei pedras contra você e mesmo depois de tudo isso ainda me devolves flores. Como?

E o senhor com toda a sua calma pegou o jovem pela mão e o perguntou se ele queria ver o resultado de tudo isso, e, o jovem o mais depressa que pode respondeu que sim.

O senhor então o conduziu para um belo lugar, um campo cheio de flores e um belo castelo ao fundo. O jovem pensativo ficou se perguntando o que aquilo significava, e o velho lhe respondeu.

- Pode-me jogar quantas pedras quiseres, com a força que quiseres, já tenho cicatrizes o bastante para superar cada uma delas, e, força o bastante para empilhar cada uma delas, e, um dia verá que ao seu redor não haverão mais pedras para lançares a mim, só haverão as flores que um dia te dei com todo o meu amor sem nenhum ressentimento. Você olhará ao seu redor e perceberá o quanto é melhor conviver com as flores mas que as pedras já se fizeram necessárias. E, se, mesmo assim achares pedras e arremessa-las a mim, novamente iniciarei mais uma torre de meu castelo e terei ao menos um belo jardim florido para contemplar.

O jovem pensativo se perguntou: Não teve medo de que eu fugisse?

Em resposta o senhor lhe disse que se resolveres fugir já sou grato pelas pedras que me ajudaram e, já ter-lhe-ei mostrado o mínimo de tudo isso: terei despertado em você a curiosidade, e, já estará presente em você a semente do BEM! Você já deu seu primeiro passo em relação a isso pelo simples facto de estar-me questionando.

Por fim o jovem fez a ultima pergunta, porque não me devolveres as pedras que te arremessei?

O senhor sorriu de leve lhe disse:

Ah meu jovem, um dia entenderá que o mais fácil é devolver as pedras que me atingiram, mas, que é muito mais gratificante agir e educar pelo exemplo e não pela igualdade.

 

(Milena Costa)

 

publicado por artedasao às 14:10

Quarta-feira, 07 de Novembro de 2012

                                  »»»»»»»»»»««««««««««

                                  »»»»»»»»»»««««««««««

 

Muito além do que nossos olhos podem ver, assim como a vida!

Ao olharmos uma paisagem, muitas vezes focamos apenas naquilo que nos interessa ou no que chama atenção.

Não olhamos ao redor e muitos detalhes passam despercebidos.

Uma coincidência? Não, na vida realizamos a mesma coisa.

Diante de um problema, só conseguimos observar consequências, ao invés de procurar soluções.

Olhamos a vida do outro, e ao apontarmos o dedo pra outra pessoa, não notamos os outros quatro apontados pra nós.

Podemos enxergar todos os dias, na correria que nos envolve, apenas prédios, asfalto, pessoas com pressa e mendigos na rua.

Nossa mente, muitas vezes acostumada com isso, cega nossos olhos e não permite a nós ver o pôr-do-sol, o sorriso de uma criança, um pássaro a cantar…

Ficamos limitados ao que vemos e não buscamos novos horizontes.

Novas maneiras de ver a vida, de solucionar, ao invés de complicar.

Formas de tornar nossa vida mais alegre, menos cansativa, mais prazerosa!

Tenho hoje o hábito, de mesmo exausta, dar atenção, aquelas pessoas que costumam puxar conversa em ônibus, na rua, em filas.

Noto uma carência em diálogos, e acredito que estas pessoas estão buscando, da sua forma, um novo horizonte em suas vidas, ao tomar a atitude de se comunicar com o desconhecido.

Tudo é questão de querer.

Se a paisagem que você vê hoje te satisfaz, é porque através de suas atitudes, você conseguiu enxergá-la.

Se ela não te anima, te deixa infeliz e por vezes, você prefere esquecê-la, comece!

Comece hoje a dar atenção aos detalhes que você ignora. Seja criativo e crie momentos no qual você quer fazer parte.

Daí em diante, tenha eles como meta, e busque alternativas para concretizar o que deseja.

Torne sua vida a mais bela paisagem enquanto estiver aqui.

Muitas coisas em nossa vida estão ligadas ao ponto de vista.

Uma história que ilustra o que isso significa:

Existia um senhor muito rico que gostava muito de fazer maldades.

Um dia ele descobriu que em frente de sua casa, morava uma senhora muito pobre que estava fazendo aniversário.

Ele, mais do que depressa, pegou uma bandeja de prata caríssima e colocou nela um monte de lixo. Foi até o portão da senhora e tocou a campainha. Logo a senhora de idade abriu devagar o portão e cumprimentou-o:

- “Bom dia, senhor.”

- “Bom dia. Como sei que a senhora está completando anos… trouxe um presente”. E lhe entregou a bandeja.

Ela abriu um sorriso e disse:

- “Obrigado… o senhor pode aguardar um minuto?”

E saiu. O senhor rico, com uma cara de espanto pela atitude, aguardou.

Ela entrou, lavou a bandeja e depositou muitas flores de todos os tipos e perfumes. Voltou e entregou ao homem.

O senhor rico, incrédulo e espantado, disse:

- “Mas como? Eu te ofereço lixo e a senhora me dá flores?

 - “Filho, eu aprendi neste mundo que cada um oferta o que tem no coração”.

O que para alguns seria um gesto de humilhação, para ela foi uma forma de mostrar o quão sublime era seu jeito de viver.

Trate a vida com mais esmero, busque ser o melhor enquanto estiver por aqui.

Não culpe os outros pela paisagem que você vê.

Felicite-se por ter o poder de deixá-la mais linda a cada segundo!

 

(Marini Lopes)

 

 

publicado por artedasao às 11:12

Terça-feira, 06 de Novembro de 2012

Técnica de Découpage com Flocos

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

Eu sou de todas as cores, de todos os sons, de todas as dores, de todos os tons...

Sou água, terra, fogo e ar...

Sou a inércia e o caminhar...

Sou brisa, sou tempestade...

Sou mentira, sou verdade...

Sou lua minguante, sou lua cheia...

Sou: pegadas na areia...

Sou a rosa e o espinho...

Sou afecto e sou carinho...

Sou sol, sou maresia...

Sou barulho, sou melodia...

Sou razão, sou sentimento...

Sou a eternidade e o momento...

Sou matéria, sou espírito...

Sou a doença e o antídoto...

Sou séria, sou anarquista...

Sou menina, sou mulher...

Sou o que me der na telha...

Sou o que você quiser...

Só não imutável, nem uma tediosa mesmice...

Eu não sou MAIS eu... Eu sou apenas EU...

E mesmo assim, imperfeita, já me dou por satisfeita...;)

 

(Nilza Rodrigues)

 

 

publicado por artedasao às 10:52

pesquisar
 
Novembro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro