TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013

( Um olhar sobre o Mosteiro de São João D'Arga (Caminha)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Para todo só, existe um, alguém.

Para toda porta fechada, existe um abrir.

Para todo erro, uma segunda, chance há.

Para toda chegada, uma partida existe.

Para toda dor, existe um bálsamo.

E para toda lágrima, existe uma recompensa.

E para todo destino, uma estrada há.

Para todo nascer um morrer existe.

E para cada busca, existe um encontrar.

E para todo você, existe um, eu.

 

(Sandra Ribeiro)

 

publicado por artedasao às 10:41

Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2013

(Baú em Madeira Pintado e Decorado com 3D)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

O Baú estava aberto, lá eu vi aquelas fotos antigas que tiramos enquanto havia aquela paixão avassaladora. Elas me trouxeram boas recordações. Mas reviver você, às vezes, não me faz muito bem. Parei um pouco no tempo para olhar para elas, e, pelo menos, tentar entender como um amor tão forte se desfez de repente. Uma tentativa falha, pois não consegui entender. Já estava em pé, preparada para sair dali.

E jogar aquelas lembranças na lixeira. Algo me prendeu ali, foram os bilhetes. Os bilhetes que fizera, para mim dos quais não mais esqueci. Eram palavras tão verdadeiras, mas que hoje não tem significado nenhum. E me vi, novamente, sentada entre as fotografias e as palavras. Sem querer me veio uma lágrima. Na verdade, não sei se era de felicidade, emoção, tristeza, ou... Saudade. Se bem que, saudade é tudo isso junto. E era sim, era saudade. Por um lado, foi bom ter encontrado essas fotos. Elas me fizeram voltar no tempo; reviver momentos sem, ao menos, sair do lugar. Não esperava que esse sentimento me perturbasse outra vez. Mas, olha aí, ele veio. As horas passaram e eu ainda continuei observando-as, e sem querer, deixei uma cair. Pode ter sido algo que a derrubou, alguma coisa querendo, me falar. No seu verso estava escrito: ‘’Para aquela que despertou meu amor. Aquela que é dona da minha razão, emoção, e fidelidade. Para a garota que conseguiu transformar meu mundo, e me entregou o seu. Para aquela que me faz feliz, simplesmente, por existir. Te amo!’’. Antes mesmo de terminar de ler, outra lágrima tomou meu rosto. Percebi que aquelas lembranças serviram para me certificar do que já estava na cara: O amor ainda prevalece. E depois de tantos anos, você ainda está ao meu lado, mesmo não estando aqui. E o que restou ficou na história, não há como apagar. Seja lá qual for o futuro, espero te encontrar nele.

 

 Thays Ribeiro

 

publicado por artedasao às 11:38

Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2013

(Andor em Procissão nas Festas Anuais de Cádiz (Espanha).

(Em baixo algumas dezenas de Homens que carregam o Andor devido ao seu Porte e Peso)

 

                                   >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                   >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Significado

 

Para mim tu nunca serás um forasteiro

Serás sempre cândida imagem

Que eu por vãos momentos

Pude apreciar de olhos abertos

matéria... De uma essência que eu pude tocar

calmaria...

Memórias de um tempo bom...

Saudade mansa

Lembrança doce

A adoçar minhas noites amargas

Lembrança quente

A esquentar minhas noites frias

 

(Kethlene Vanzeler)

 

publicado por artedasao às 10:48

Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2013

(Três caixas com trabalhos diferentes: Técnica de guardanapo, craquelado e esponjado)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Por muito tempo, eu pensei que a minha vida fosse se tornar uma vida de verdade.

Mas sempre havia um obstáculo no caminho, algo a ser ultrapassado antes de começar a viver, um trabalho não terminado, uma conta a ser paga. Aí sim, a vida de verdade começaria.

Por fim, cheguei à conclusão de que esses obstáculos eram a minha vida de verdade.

Essa perspectiva tem-me ajudado a ver que não existe um caminho para a felicidade.

A felicidade é o caminho! Assim, aproveite todos os momentos que você tem.

E aproveite-os mais se você tem alguém especial para compartilhar, especial o suficiente para passar seu tempo; e lembre-se que o tempo não espera ninguém.

Portanto, pare de esperar até que você termine a faculdade; até que você volte para a faculdade; até que você perca 5 kg; até que você ganhe 5 kg; até que seus filhos tenham saído de casa; até que você se case; até que você se divorcie; até sexta à noite até segunda de manhã; até que você tenha comprado um carro ou uma casa nova; até que seu carro ou sua casa tenham sido pagos; até o próximo Verão, Outono, Inverno; até que você esteja aposentado; até que a sua música toque; até que você tenha terminado seu drink; até que você esteja sóbrio de novo; até que você morra; e decida que não há hora melhor para ser feliz do que agora mesmo...

Lembre-se:

Felicidade é uma viagem, não um destino.

 

(Henfil)

 

publicado por artedasao às 10:58

Domingo, 24 de Fevereiro de 2013

(Um olhar da Torre do Castelo em Melgaço)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Viagens, festas, amigos, diversão palavras assim lembram apenas uma: FÉRIAS !

Ah, férias! Seja de inverno ou verão, todo estudante adora.

Afinal, não é sempre, que não se tem aula por um tempo, não é sempre que nós vemos pessoas distantes.

Férias! Podiam existir a cada 15 dias!

Férias, tempo de descanso e ao mesmo tempo diversão.

Tempo de encontrar quem não vemos, viajar, sair e curtir!

Tempo de namorar, de rir e chorar.

Tempo que não dura pra sempre.

Histórias?

A cada tempo de férias, novas histórias aparecem.

Umas engraçadas, outras nem tanto.

Umas românticas, outras desastradas.

Umas com muitas festas, baladas e tal, outras em casa.

Umas com os amigos, outras com a família.

Férias no inverno cheias de brigadeiros; filmes, abraços.

Férias no verão cheias de praias, piscinas, sorvete, baladas.

Férias, não importa o tempo ou a data o importante é que elas existam!

 

(juNiicolau)

 

publicado por artedasao às 12:29

Sábado, 23 de Fevereiro de 2013

(Caixas em madeira Craqueladas e Decoradas)

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Sentir Falta de Alguém

 

Sentir falta de alguém

É se sentir tão longe mesmo estando ao lado

Entrar em uma festa mudo e sair calado

É Pensar que o fundo do poço é o esconderijo do mundo

Depois descobrir que este poço nunca teve fundo

 

Sentir falta de alguém

É Ter a solidão como amiga e o silêncio como irmão

Dormir com a saudade e acordar com a recordação

Ouvir alguém falar sem nada entender

Varar a noite em claro até o sol nascer

 

Sentir falta de alguém

É estar à beira de um precipício pronto pra pular

É enfrentar o oceano sem saber nadar

Sair de carro sem rumo e sem ninguém por perto

Tendo apenas o horizonte como destino incerto

 

Sentir falta de alguém

É estar no meio de uma multidão e se sentir sozinho

Ser um pequeno pássaro fora do ninho

É enfrentar uma guerra somente com a cara e a coragem

Sem nem se quer temer a ultima viagem

 

É apenas esperar...esperar e esperar

Que uma notícia boa lhe conforte

Que você volte a dominar seu rumo, seu norte

E que isto te prepare e te deixe pelo menos

Um pouco mais forte….

 

(Luís Pontes)

 

publicado por artedasao às 10:15

Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2013

(Galo gigante que esteve exposto em Barcelos no ano 2008)

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Uma Raposa se aproxima de um galo e disse-lhe:

 

- Gostaria de saber se és capaz de cantar tão bem quanto teu pai cantava.

Então o galo fechou os olhos e começou a cantar. A raposa agarrou-o e pôs-se a fugir com ele. Pessoas do lugar que viram aquilo gritaram:

- Olha a raposa que vai levando o galo!

Foi quando o galo disse à raposa:

- Estais ouvindo o que aquela gente diz, que estás levando o galo? Diz-lhes que sou teu e não deles.

E a raposa gritou:

- O galo é meu e não vosso!

Assim que ela abriu a boca o galo escapuliu e voou para cima de uma árvore. De lá disse à raposa:

- Estás mentindo. Sou deles e não teu!

A raposa pôs-se a dar cabeçadas no chão, dizendo:

- Boca, por que falaste demais? Terias comido o galo se não gastasses tantas palavras!

*Muito Falar Prejudica, e Muitos Cocorocós é Perigoso. Evita Palavras Demais e Guarda-te de Exibições.


 (Linartt Vieira)

 

publicado por artedasao às 11:14

Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2013

(Prato em vidro trabalhado com a técnica de guardanapo)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Arroz, feijão, bife, ovo. Isso, nós temos no prato, é a fonte de energia que nos faz levantar de manhã e sair para trabalhar. Nossa meta primeira é a sobrevivência do corpo. Mas como anda a dieta da alma?

Outro dia, no meio da tarde, senti uma fome me revirando por dentro. Uma fome que me deixou melancólica. Me dei conta de que estava indo pouco ao cinema, conversando pouco com as pessoas, e senti uma abstinência de viajar que me deixou até meio tonta. Minha geladeira, afortunadamente, está cheia, e ando até um pouco acima do meu peso ideal, mas me senti desnutrida. Você já se sentiu assim também, precisando se alimentar?

Revista, jornal, internet, isso tudo nos informa, nos situa no mundo, mas não sacia. A informação entra dentro da casa da gente em doses cavalares e nos encontra passivos, a gente apenas selecciona o que nos interessa e despreza o resto, e nem levantamos da cadeira neste processo. Para alimentar a alma, é obrigatório sair de casa. Sair à caça. Perseguir.

Se não há silêncio a sua volta, cace o silêncio onde ele se esconde, pegue uma estrada de terra batida, visite um sítio, uma queda de água, ou vá para a beira da praia, o litoral é bonito nesta época, tem uma luz diferente, o mar parece maior, há menos gente.

Cace o afecto, procure quem você gosta de verdade, tire férias de rancores e mágoas, abrace forte, sorria, permita que lhe cacem também.

Cace a liberdade que anda tão rara, liberdade de pensamento, de atitudes, vá ao encontro de tudo que não tem regras, patrulha, horários. Cace o amanhã, o novo, o que ainda não foi contaminado por críticas, modismos, conceitos, vá atrás do que é surpreendente, o que se expande na sua frente, o que lhe provoca prazer de olhar, sentir, sorver. Entre numa galeria de arte. Vá assistir a um filme de um director que não conhece. Olhe para sua Cidade com olhos de estrangeiro, como se você fosse um turista. Abra portas. E páginas.

Arroz, feijão, bife, ovo. Isso me mantém de pé, mas não acaba com meu cansaço diante de uma vida que, se eu me descuido, torna-se repetitiva, monótona, entediante. Mas nada de descuido. Vou, me entupir de calorias na Alma. Há fartas sugestões no cardápio. Quero engordar no lugar certo. O ritmo dos dias é tão intenso que às vezes a gente esquece de se alimentar direito.

 

(Martha Medeiros)

 

publicado por artedasao às 13:28

Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2013

(Museu Arqueológico em Barcelos)

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

De que são feitos os dias?

- De pequenos desejos,

vagarosas saudades,

silenciosas lembranças.

 

Entre mágoas sombrias,

momentâneos lampejos:

vagas felicidades,

inactuais esperanças.

 

De loucuras, de crimes,

de pecados, de glórias

- do medo que encadeia

todas essas mudanças.

 

Dentro deles vivemos,

dentro deles choramos,

em duros desenlaces

e em sinistras alianças...

 

(Cecília Meireles)

 

publicado por artedasao às 09:38

Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2013

(Outra parte da minha 5ª Exposição na Trofa (Caixas, Baús, Porta Retratos e Tabuleiro)

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Não é a toa que o verde é minha cor preferida...

Sem saber muito o porquê, sempre associo a palavra ESPERANÇA a esta cor. Será por causa daquele pequeno bichinho que se chama Esperança e é verde que talvez a maior parte de nós faça esta associação?

Se bem que eu não... Nem me lembro do pequenino insecto quando penso na ESPERANÇA!

Penso, ou melhor, sinto uma sensação de paz, vontade de viver, calma e, ao mesmo tempo, uma euforia para mudar diante a ESPERANÇA. Não é à toa que a parede do meu quarto é verde... Acho que vou pintar tudo de verde! Mas, pensando bem, para quê? Basta olhar um bocadinho para a natureza que a sensação volta com tudo. Grama, árvores, plantas diversas, pássaros, a natureza em movimento!

 

A ESPERANÇA não permite que meus dias sejam áridos! Há quem diz que não se vive de esperanças... Pobre destes alguéns que não criam expectativas!

Neste quesito sou ambiciosa. Crio grandes e poucas expectativas. Concordo que não adianta criar grandes e muitas expectativas, pois nos perderíamos no caminho.

As esperanças que crio são grandes sim, pois prefiro cair do alto e me machucar (caso não consiga alcançar com esforço o que quero) do que cair do baixo e me machucar também, sem ter tentado com todas as minhas forças e olhando bem do alto todo o encantamento e FELICIDADE que posso ganhar!

 

Sem ESPERANÇA eu não quero viver! Prefiro o deserto... Mas por favor, se perceberem através das minhas palavras que estou mudando meu rumo, não me deixe ir para o deserto!

 

A esperança nasce, cresce e vive onde permitimos que ela se crie. Permita! Dê um espaço, por menor que seja e veja como vai haver VIDA VERDE na sua VIDA! Muito além das paredes...

 

(Luciana Horta)

 

publicado por artedasao às 10:39

Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2013

(Jardim colorido na zona de Barcelos)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Canção de Outono


Perdoa-me, folha seca,

Não posso cuidar de ti.

Vim para amar neste mundo,

E até do amor me perdi.

 

De que serviu tecer flores

Pelas areias do chão,

Se havia gente dormindo

Sobre o próprio coração?

 

E não pude levantá-la!

Choro pelo que não fiz.

E pela minha fraqueza

É que sou triste e infeliz.

Perdoa-me, folha seca!

Meus olhos sem força estão

velando e rogando àqueles

Que não se levantarão...

 

Tu és a folha de outono

Voante pelo jardim.

Deixo-te a minha saudade

- A melhor parte de mim.

Certa; de que tudo é vão.

Que tudo é menos que o vento,

Menos que as folhas do chão...

 

(Cecília Meireles)

 

publicado por artedasao às 11:23

Domingo, 17 de Fevereiro de 2013

(Uma das minhas exposições na Trofa, com vários trabalhos)

 

                                   »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                   »»»»»»»»»»««««««««««

 

Cinco Coisas

 

Eram cinco pessoas: aquele que se sentia amado, o que acredita no sucesso e era bem-sucedido, o incrédulo que em nada cria, o justíssimo que clamava a igualdade e o que acreditava na verdade.

Muito bem: analisemos as cinco distintas pessoas acima:

Em um dia ensolarado, saiu o que se sentia amado, pela esposa, pelos filhos, pelos amigos….Ele sentia-se completo, exigia de seus subordinados máxima destreza e era infalível com horários. Buscava sempre o melhor de todos, fazendo com que todos quisessem dar seu melhor…. Todavia, um dia encontrou o incrédulo, que em nada cria e este, lhe disse, amado, tens um problema?

Qual, perguntou ao incrédulo? Mesmo sentindo-se amado, ilustre, sensato, não dá a reciprocidade daquilo que sentes, oprime ao máximo aqueles que te rodeiam e te sente amado…. Mas pelo quê? Pela tua beleza? Competência?

Mediante isso, o amado contesta o incrédulo: diz-se isso, por que em nada acredita! Por que és infeliz em tua incredulidade e assim deseja que os outros o sejam!

Neste momento, entra na sala o justíssimo, escutando a profecia e interfere: Ambos são iguais, de formas opostas, concluo, pois nem tu amado dá a reciprocidade ao alheio e, menos ainda tu, incrédulo, acredita em alguma coisa….

Feliz, sou eu, que justamente compreende a vida e faço justiça quando necessito, colocando cada um em seu lugar… de forma exemplar…. 

Entrementes, o bem-sucedido invade a reunião ao escutar tamanha discussão e logo interpela: Amado e não ama? Incrédulo e crê que alguém precisa mudar? Justo que busca a igualdade, mas prevê que todos são iguais, não levando em conta as diferenças individuais... Estão todos vocês loucos…. Certo, estou eu, que sou bem-sucedido, pois nada, julgo em tudo creio e amo a medida que sou amado……

Ouvindo um barulho à porta, os quatro homens viraram-se e notaram a entrada daquele que acreditava na verdade e, então, perguntaram-lhe: O que você acha a respeito disso tudo?

Passado um minuto de reflexão explanou: Acho que na verdade, só se é amado quando existe em nós a capacidade de amar e, para que isso ocorra, é necessário acreditar em algo, seja no que for, até mesmo no ar que respiramos e, mesmo que não possamos vê-lo (o ar), simplesmente, não podemos julgar sua inexistência prévia…. Assim, só haverá sucesso como ser humano e seres bem-sucedidos em nossos corações, quando todos vossos elementos estiverem equilibrados sobre uma mesma visão e entendimento, dessa forma, quando vossas bocas se abrirem, somente uma será proferida:

"O amor à vida somente se dá na crença de sermos justos connosco antes de julgar os demais e, o sucesso em nossos actos depende exclusivamente da forma verdadeira em como lidamos connosco primeiramente, para depois atingirmos aos demais"……

 

Pensem….

 

(João Francisco da Costa)

 

publicado por artedasao às 13:33

Sábado, 16 de Fevereiro de 2013

(O meu Presépio em 2009 no Parque de Campismo de Árvore)

 

                                »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                »»»»»»»»»»««««««««««

 

Minha virtude

 

Diz que me ama em silêncio

E me faz esquecer tudo que eu penso

Me leva de volta pro início

E faz da tua boca o meu vício

 

Eu abri mão de tanto para estar aqui

Agora não tem mais como fugir

O teu querer é minha vontade absoluta

Me abraça, fecha os olhos e escuta:

 

Você é minha virtude, meu erro

Meu sonho, meu desejo

Minha segurança, paraíso concreto

É quem me faz feliz por completo

 

Só você conhece os meus instintos

Sabe bem brincar com o que sinto

E eu entro totalmente no seu jogo

O bem e o mal, a água e o fogo

 

O tempo passa e novamente está-mos aqui

Olhando o horizonte, sem ter pra onde ir

O meu querer é tua vontade absoluta

Me abraça, fecha os olhos e escuta

 

Você é minha virtude, meu erro

Meu sonho, meu desejo

Minha segurança, paraíso concreto

É quem me faz feliz por completo

 

(Petrônio Augusto Carvalho Olivieri Filho)

 

publicado por artedasao às 11:23

Sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2013

(Arranjos florais feitos por mim para qualquer altura)

 

                                   >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                   >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Inspire-se

 

Sinta o cheiro da luz

E a claridade das flores

Sinta o calor da chuva

Tome um banho de sol

Alimente-se de ar e respire o alimento

Beije as pessoas com palavras

Ouça o silêncio

Beba um sorriso e ofereça o seu

Não perca uma gota

Forme canções com gestos

Escreva com os pés

Não busque explicação para tudo

Justifique sua existência

Não peça nada, mereça tudo

Esteja, não seja

Morra de amor

Viva, antes de morrer

 

(Victor Chaves)

 

publicado por artedasao às 12:10

Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2013

(Um Olhar para parte das Muralhas do Castelo de Melgaço)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Muralhas

Lutas Que Batalhei,

Muralhas Que Derrubei,

Gigantes Que Enfrentei,

Poesias Que Criei,

 

Me Fizeram Aprender,

O Que Um Dia Eu Quis,

Quando Tentei Esquecer,

Aquilo Que Ensinou O Juiz,

 

Tentei Seguir O Caminho,

E Com A Tristeza Me Encontrei,

Porque Não Venci O Destino,

E Seu Amor Não Conquistei.

 

(Daniel Wutzke de Oliveira)

 

publicado por artedasao às 15:15

Quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2013

(Envelope em Cartolina para ofertar e guardar uma qualquer Lembrança nomeadamente um Álbum)

 

                                   >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                   >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Que o sol brilhe

A gaivota cante

E o vento sopre.

Que a maré se acalme

O vento aqueça

E o sol adormeça.

Você seja você

Eu serei eu.

Quando o outro dia chegar,

Que o vento não leve o que ficou

E a chuva não lave os restos. Pós o prometido chegou.

Que o tempo passe

Que o tempo passe devagar

Que o tempo passe devagar, e eu o acompanhe

Que o tempo passe devagar, e eu o acompanhe, e, veja a gaivota voar

Que a gaivota voe sobre mar, fazendo com que o sol a faça uma com o ar.

E eu estarei na areia sem pretensões do nada.

Que a brisa traga

A lua admire

E as estrelas me contemplem.

Que a grama cresça e o tempo não perca!

Que o tempo não perca sua repleta compaixão na árdua missão em ensinar.

Que eu cresça

E a fome se acabe.

Que eu cresça e amadureça com a sabedoria do tempo

Eu aluno

O tempo mestre

E o outro dia

Há-de chegar.

 

(Erick Guimarães)

 

publicado por artedasao às 11:39

Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2013

(Um olhar diferente)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

"Se alguém lhe bloquear a porta,

Não gaste energia com o confronto,

Procure as janelas.

 

Lembre-se da sabedoria da água:

... A água nunca discute

Com seus obstáculos

Mas o contorna.

 

Quando alguém o ofender

Ou o frustrar,

Você é a água e a pessoa que o feriu

É o obstáculo!

Contorne-o sem discutir.

 

Quem fez chorar, não te merece

Aprenda a amar sem esperar

Muito dos outros."

 

(Autor Desconhecido)

 

publicado por artedasao às 12:01

Segunda-feira, 11 de Fevereiro de 2013

(Álbum de Recordação, Nascimento ou Baptizado)

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Estou sentada à beira mar.

Sozinha, mais ninguém.

Balanço a cabeça:

Não, não quero as recordações!

Só quero estar aqui

A, olhar pró horizonte

Perdido junto ao mar.

Mas elas insistem,

Não resisto,

Me deixo levar pra junto delas.

Uma hora estou no poço,

Grito: Alguém me ajuda!

Poucas pessoas estendem as mãos,

Mas são estas poucas que acreditam quem realmente, eu sou.

Outras horas estou na torre,

E mesmo que comigo nada tem em comum,

Não há espaço para mais ninguém.

Cansada de, vagar,

Sento-me novamente à beira mar.

Daqui para onde fui,

É uma distância enorme,

Mas esta distância

Não traz o esquecimento:

Que eu sempre seguirei

Prisioneira das minhas próprias recordações.

 

(Rosemary Chaia)

 

publicado por artedasao às 11:02

Domingo, 10 de Fevereiro de 2013

(Seca de Pescado na Praia da Nazaré)

 

                                   »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                   »»»»»»»»»»««««««««««

 

Vejo pessoas acorrentadas na rotina

Outras atrás das grades

Algumas em busca da sobrevivência

Outros só atraem vaidade!

 

Pessoas se corrompendo por dinheiro

Umas juntando rancor, má-fé, vingança... Desespero!

Alguns desistindo de ter vida

Outros vivem até demais... Experiência com sabedoria!

Tantas pessoas ao nosso redor passam até despercebidas.

 

Tudo porque a paz já não existe

Agora "tudo" tem final triste!

Tantos génios já se foram

Tantas vozes se calaram

O bom da música acabou... Meu ouvido se isolou!

Relembrar e reviver é o que restou!

 

A felicidade foi morar longe

O amor se encontra velho, frio, onde se esconde?

E a verdadeira "VIDA"? Foi parar aonde?

Vou procurar, fazer de tudo pra beber dessa fonte.

 

Vejo cultura se degradar lentamente

O povo nem quer mais saber da mente

A natureza some rapidamente... Ah! Que vergonha é essa?

Creio que seja a má administração do homem que só tem pressa

Estamos perecendo num mar de hipocrisia

Onde se deposita o voto no bolso do político vigarista.

 

O ar!? Já não respiraremos

Água!? Já não beberemos

E quem riu do nordeste

Vai virar "Cabra da Peste"

Calor vai ter de monte, vão morar debaixo da ponte

Ah?! Não é lugar digno? Por quê na hora de poluir deu risada e jogou o lixo?

Agora descerão lágrimas de arrependimento, da sociedade que só soube pensar em dinheiro

Dinheiro agora não será água, comida, nem casa!

Vai ficar vagando com sua família no meio do nada...

Infelizmente.

Cada um, caminha junto com a quebrada!

 

(Cauê Drumond)

 

publicado por artedasao às 12:07

Sábado, 09 de Fevereiro de 2013

                                  »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

 

                                  »»»»»»»»»»««««««««««

 

Agradecimento

 

“Não espere favor faça um"

"Não espere agradecimento agradeça"

"Não espere gentilezas proceda"

"Assim não espere simpatia sorria"

"Não espere amor ame"

Nunca espere nada da vida dos outros sem que você já o tenha feito por alguém!

 

(Guilherte)

 

publicado por artedasao às 11:57

Sexta-feira, 08 de Fevereiro de 2013

(Um olhar para a beleza do Mar da Nazaré)

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

Nevoeiro


Entre o cais de partida e o de chegada

Deste mistério a que chamamos vida,

Olhando em volta não se vê mais nada

Que o nevoeiro da despedida.

Mal se nasce, inicia-se a contagem

Do que temos de deixar

Ao longo da viagem.

São contas de sumir, não de somar,

Mais de perder do que de achar.

Mas não se tira vantagem

Do que lançamos ao mar

E para se ser livre e ser inteiro

Importa ousar romper o nevoeiro.

 

(Torquato da Luz)

 

publicado por artedasao às 10:56

Quinta-feira, 07 de Fevereiro de 2013

(Porta retratos com folha de aluminio e aplicações)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

"Jogando fora"

 

Joguei fora

Roupas

Cartas

Retractos

Mas minha alma, ainda estava lá!

 

Mudei o rumo

Virei o rosto

Dormi em outros braços...

Mas ela continuava ali.

 

Virei outra

Troquei de estilo e religião,

Cortei o cabelo,

Ouvi outras canções, em outros lugares;

 

Mas a alma,

Não saiu do lugar…

Só eu é que me perdi!

 

(Shalimar Catramby)

 

publicado por artedasao às 12:33

Quarta-feira, 06 de Fevereiro de 2013

(Esquilo passeando no Parque de Campismo de Árvore)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

O Coração

 

O coração tem seu lado funcional

Qualquer um tem, basta ser animal

Sendo o coração, inimigo da razão

Necessário para a emoção

 

Mas não diga isso,

Que eu tenho um compromisso

Pois sei que terei ele

Mesmo que não queira

 

Associado ao amor

Ele cheira a uma flor

Se eu puder doá-lo,

O farei com prazer

Tentarei não magoá-lo

Para não o perder

 

Quando ele parar,

Não sei o que vou fazer

Mastigarei a minha alma

Para entender o meu ser.

 

(João Henrique dos Santos Jorge)

 

publicado por artedasao às 11:49

Terça-feira, 05 de Fevereiro de 2013

(Convites, Postais ou Envelope para Lembranças)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Das Palavras

 

São difíceis as palavras,

Nem sempre espadas,

Nem sempre flores,

Entrelaçadas são poesia,

Disparadas são armas,

Tristeza e melancolia.

Às vezes amor, às vezes inferno,

Vêm do fundo da alma,

Explícitas ou veladas,

Ressoam tristemente bêbadas,

Às vezes verão, às vezes inverno.

Penetram clandestinas na alma,

Como bordados feito à mão,

Fogem quando mais se precisa,

São reais ou mera ilusão.

Palavras de amor não ditas,

São silenciosas reticências,

Fugazes e sorrateiras,

Levam poemas nas asas, mas,

Adormecem escondidas na mão...

 

(Sônia Schmorantz)

 

publicado por artedasao às 11:38

Segunda-feira, 04 de Fevereiro de 2013

(Este olhar é da Capela Nossa Senhora da Rocha, Algarve)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                    >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Quero estar no lugar onde de manhã o sol nasce,

Quero estar na praia,

Quero estar na casa de uma família feliz,

Quero estar no passado,

No presente,

No futuro,

Quero estar na estrada,

Na montanha,

Ou nas alturas,

Mas, momentaneamente permaneço em meus pensamentos,

Onde posso estar onde quiser!

 

(Júlia Demétrio)

 

publicado por artedasao às 11:32

pesquisar
 
Fevereiro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9





Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Arte da São
conter12
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro