TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Domingo, 03 de Fevereiro de 2013

(Com motivos de Verão)

 

                           >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                           >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

O Menino Azul

 

O menino quer um burrinho

Para passear.

Um burrinho manso,

Que não corra nem pule,

Mas que saiba conversar.

 

O menino quer um burrinho

Que saiba dizer

O nome dos rios,

Das montanhas, das flores,

— De tudo o que aparecer.

 

O menino quer um burrinho

Que saiba inventar histórias bonitas

Com pessoas e bichos

E com barquinhos no mar.

 

E os dois sairão pelo mundo

Que é como um jardim

Apenas mais largo

E talvez mais comprido

E que não tenha fim.

 

(Quem souber de um burrinho desses,

Pode escrever

Para a Ruas das Casas,

Número das Portas,

Ao Menino Azul que não sabe ler.)

 

(Cecília Meireles)

 

publicado por artedasao às 11:27

Sábado, 02 de Fevereiro de 2013

(Na Vila do Soajo, Concelho dos Arcos de Valdevez, são 24 Espigueiros em pedra. Uma das Maravilhas de Portugal)

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

  

Da Minha Aldeia

 

Da minha Aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo...

Por isso a minha Aldeia é tão grande como outra terra qualquer

Porque eu sou do tamanho do que vejo

E não, do tamanho da minha altura...

 

Nas Cidades a vida é mais pequena

Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.

Na Cidade as grandes casas fecham a vista à chave,

Escondem o horizonte, empurram o nosso olhar para longe de todo o céu,

Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,

E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é Ver.


(Alberto Caeiro)

 

publicado por artedasao às 11:01

Sexta-feira, 01 de Fevereiro de 2013

(Convites ou Postais de Agradecimento)

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

Folha, papel, um branco sem cor

Esperando tinta que vem compor sentimento,

Poemas e até várias cartas de amor.

Letras, palavras, frases que vem expressar,

O sentir, o querer, o sonhar, o amar.

Papel, tinta e o sentir

Quantos poemas nasceram assim.

Poema é corpo e razão

Que dão forma ao sentir do coração.

O poeta então é mero servidor do papel

Da tinta e do sentir

Para com as letras, palavras e frases

Poder formar

Um novo poema que há-de brilhar.

 

(Gustavo Henrique L. Piovesan)

 

publicado por artedasao às 10:52

pesquisar
 
Fevereiro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9





Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
subscrever feeds

SAPO Blogs


Universidade de Aveiro