TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Domingo, 31 de Março de 2013

(Convites para um qualquer Evento, este ou outro formato e cor, aceito encomendas)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Convite

 

Eu te direi minha verdade

E ouvirei a tua

Acreditarei na tua verdade

Farei da tua palavra a minha palavra

Do teu canto

Meu canto

De tua lágrima

Minha lágrima

Venha, vamos, partamos...

Esqueçamos

Essa gente amarga

E sua vã filosofia

Os homens ruins, isto é

Aqueles que profissionalizaram tudo,

Inclusive o amor

Vamos ganhar o tempo

Em busca de novos horizontes

Vamos dialogar

Com os pássaros

Cultivar as flores

Admirar as estrelas

Amar os verdes dos campos

O azul do céu e curtir

Essa tarde fogosa que dança no espaço

Vamos crescer na pureza

Desta noite criança

Que mais tarda a chegar

E renascer com o sol da manhã

Que por certo virá

Vamos construir um tempo novo

Uma existência nossa

E amanhã

Quando o peso dos anos

Marcar nossos cabelos

Enrouquecer nossa voz

Eu te direi

Com a mesma emoção de hoje

Que te amo!

 

(Vicente Haroaldo)

 

publicado por artedasao às 12:48

Sábado, 30 de Março de 2013

(Jarra em Barro, Pintada, Craquelada, trabalhada com massa de modelar e decorada com galão)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Não encare tudo como uma pedra em seu caminho.

  

Uma vida inteira as vezes passa

Até que um dia você percebe que,

Algumas escolhas se tornam indiferentes

Em sua vida

E outras são as que decidiram o que somos hoje.

Com o passar do tempo, percebemos que somos pouco

Em relação ao mundo.

Pois fizemos pouco, arriscamos pouco e nos acostumamos

A ser pessoas complicadas,

Sendo que quando viemos pra esse mundo,

Não sabíamos o que era problemas e muito menos soluções.

E com o tempo passando rapidamente

As vezes nem damos por conta que os,

Problemas estão em nossa cabeça e não sabemos

Muitas vezes lidar, com o fato de sermos seres pequenos

Com grandes propósitos.

Somos uma balança, pois temos que saber equilibrar

Situações e nunca se deixar levar.

Sempre ir no tudo ou nada é pra quem aposta em si mesmo

Sem medo de errar pois seguem seu próprio coração.

E se seguirmos nosso coração, nunca iremos errar e assim

Nos tornaremos pessoas grandes e de grandes atitudes.

 

(Pamela Tailine Amorim)

 

publicado por artedasao às 12:08

Sexta-feira, 29 de Março de 2013

(Para comemorar hoje um Ano de Posts neste Blog vai uma Jarra Azul pintada em Barro e Craquelada)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Enchi uma jarra de porcelana azul, com as lágrimas que já verti, transparentes de saudade, magoa e amor... Quando a tristeza não me deixa chorar, enfio as mãos na jarra azul e lavo o rosto com as lágrimas que já deitei...

 

(Andy More)

 

publicado por artedasao às 14:30

Quinta-feira, 28 de Março de 2013

(Último desta série de Porta retratos trabalhado com folha de alumínio e com aplicação)

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                        >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Em caso de dor ponha gelo,

Ponha muito mais que isso...

Em caso de Medo encontre a Luz,

Encontre muito mais que isso...

Em caso de tristezas mude a cor da sua roupa,

Mude muito mais que isso...

Em caso de rotina saia para admirar uma árvore,

Admire muito mais que isso...

Em caso de cansaço sorria pelo dia

Sorria muito mais que isso...

Em caso de reclamações agradeça pelas pessoas que te cerca,

Agradeça muito mais que isso...

Em caso de encontrar uma flor morrendo, plante outra no lugar,

Plante muito mais que isso...

Em caso de insónia reze pelo próximo dia,

Reze muito mais que isso...

Ponha, Encontre, Mude, Admire, Sorria, Plante, Reze,

E você terá muito mais que isso.

 

(Thaysa)

 

publicado por artedasao às 12:43

Quarta-feira, 27 de Março de 2013

(Mais um Porta Retratos estilo antigo, trabalhado com folha de alumínio, galão e aplicações)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

É Bom Praticar

 

É Bom praticar Amor

E controlar a emoção

É Bom praticar Harmonia

Logo faz bem ao coração

 

É Bom Praticar um Sorriso

Tentar fazer desse inferno o Paraíso

Olhei para o passado, virei as costas e Saí

Para não lembrar quantas vezes eu caí.

 

O passado deixou marcado muitas dores

Alimentando a mente de muitos pensadores

Por muitas vezes tentei lutar

Mais, estou cansado da ilusão me desprezar.

 

(Leandro De Carvalho Santana)

 

publicado por artedasao às 12:54

Terça-feira, 26 de Março de 2013

(Porta retrato estilo antigo, trabalhado com folha de alumínio e galão)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Folia No Meu Quarto O Teatro Mágico

Se água nos olhos do palhaço molha

Menina dos olhos abandonada

 

Boneca de pano, de pena, chora

Quando água nos olhos da gente escorre

 

Corre beirando boca, ribeirão

Dorme junto ao coração

Faz do peito cachoeira

 

Leva, lavando, me deixando leve

Que a certeza não escorregue

Feito pedra de sabão

 

Bola, vidro, janela, bronca, tapa

Dias e dias sem televisão

Fecho porta para não escutar briga

E, também, pra briga não escutar minha canção

 

Que faço distraindo a vida

Vou traindo minha sina

Distraindo decisão

Falo coisas que às vezes não faço

Sou boneca, sou palhaço, ponto de interrogação

 

Todo ser seria

Todo rio riria

Toda flor folia

Abajur para escuridão

 

Toda brincadeira começa com alegria

Mas o sino do almoço troca o riso por feijão

Quero mais careta no retrato

Quero mais folia no meu quarto

 

(Teatro Mágico) 

 

publicado por artedasao às 12:19

Segunda-feira, 25 de Março de 2013

(Porta retratos trabalhado com metal pintado a óleo)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Um dia uma criança chegou diante de um pensador e perguntou-lhe:”

Que tamanho tem o universo?” Acariciando a cabeça da criança, ele olhou para o infinito e respondeu:” O universo tem o tamanho do seu mundo.” Perturbada ela, novamente indagou:” Que tamanho tem meu mundo?” O pensador respondeu:” Tem o tamanho dos seus sonhos.” Se seus sonhos são pequenos, sua visão será pequena, suas metas serão limitadas, seus alvos serão diminutos, sua estrada será estreita, sua capacidade de suportar as tormentas será frágil. Os sonhos regam a existência com sentido. Se seus sonhos são frágeis, sua comida não terá sabor, suas primaveras não terão flores, suas manhãs não terão orvalho, sua emoção não terá romances. A presença dos sonhos transforma os miseráveis em reis, faz dos idosos, jovens, e a ausência deles transforma milionários em mendigos, faz dos jovens idosos. Os sonhos trazem saúde para a emoção, equipam o frágil para ser autor da sua história, fazem os tímidos terem golpes de ousadia e os derrotados serem construtores de oportunidades. Sonhe!"

 

(Augusto Cury)

 

publicado por artedasao às 12:10

Domingo, 24 de Março de 2013

(Rotunda Sul de Entrada na Cidade de Penafiel)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Portas

 

Porta da casa e da rua

Porta da escada e da lua

Porta de entrada e saída

Porta que é minha e sua

Porta da boca e do ouvido

Porta da inspiração

Da consciência, o sentido

Porta da minha razão.

Porta que vai e que vem

Que abre e pode fechar

Porta da terra e do além

Porta dos rios, do mar.

Porta da noite e do sono

Do sonho, do anoitecer

Porta de guerra e abandono

Porta que não vou querer.

Porta da integridade

Porta da sabedoria

Porta de uma amizade

De descoberta e harmonia.

São portas que se abriram

Portas de imaginação

Que portem bênçãos tais portas

Para o teu coração.

 

(Ezhequiel Águia Queiróz)

 

publicado por artedasao às 14:39

Sábado, 23 de Março de 2013

(Caixa em Madeira para guardar relógios, Pintada e craquelada)

 

                                  >>>>>>>>>>><<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Eu guardei os relógios.


Escondi de mim mesma que o tempo passava. Não queria perder a imagem antiga. Então achei mais fácil fechar os olhos. Sorrir enquanto chorava, para misturar as sensações. Corri para estar aonde queria, e descobri que estive o tempo todo no mesmo lugar. Escondi numa caixa tudo que me lembrasse o seu sorriso, e na verdade, acho que foi isso que me fez chorar. Mas eu ainda sabia onde você estava. Onde o sol se punha, e o motivo pelo qual eu me escondia. Eu nem mesmo fiz esforços pra esconder de você o quanto sua presença me causava borboletas no estômago, mas agora, elas precisam de liberdade.

 

(Gabrielle Pires Silva)

 

publicado por artedasao às 10:41

Sexta-feira, 22 de Março de 2013

(Batentes ou Puxadores de Uma Porta Portuguesa)

 

                            >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                            >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Estou sujo de medo.

 

Há nas ruas uma grande confusão disfarçada de calma. Pessoas caminham apressadas para fugirem tranquilamente dos seus desafios de se tornarem melhores e mudar o mundo. Somos simpatizantes dessa obscura guerra de interesses que se desenrola por debaixo dos panos. Celebramos o desespero e a fome em filas monumentais, e o fato de estarmos posicionados ordeiramente uns atrás dos outros, reafirma a nossa cómoda disposição de colaborar com essa baderna jeitosa que nos confunde, mas nos ajuda a disfarçar o nosso complexo de culpa por tudo que está errado.

Enganar-se parece ser o melhor remédio. Essa normalidade mentirosa suaviza a bagunça geral que se espalha por todos os cantos. Existe um céu de chumbo a encobrir os nossos equívocos. Existe um eclipse de racionalidade ocultando as verdades que mais nos incomodam. Existem abismos debaixo dos nossos tapetes, prontos para engolir a nossa covardia.

Existe poeira para todos os olhos, pois, na verdade, ninguém faz questão de enxergar os desastres que enfeiam as nossas vidas. Nem tudo é tão azul quanto se pinta, mas a gente faz questão de continuar fazendo festa e acendendo fogos-de-artifício para embelezar as nossas noites de horror.

Vejo pássaros revoando sem rumo e carros manobrando na contra mão. Ouço homens e mulheres gritando em silêncio, cães latindo debaixo da cama e crianças aprendendo, sob as bênçãos da lei, a se tornarem adultos perversos. Isso tudo acontece diante das nossas fuças, mas todos fazem absoluta questão de ignorar os fatos e deixar tudo como está, como se esse lixo todo fosse uma grande novidade. Tudo é mantido no seu devido lugar para que as falsas impressões prevaleçam sobre o que é real. Enquanto isso, o caos repousa tranquilamente sobre a ordem vigente neste triste teatro social em que vivemos.

Nem tudo está em paz, como se pensa. Percebo uma certa inquietude no ar. Percebo um grande tumulto contido pela força das aparências, mas nada é exactamente o que parece.

Estamos todos ensurdecidos pelo estrondo cataclísmico da nossa imensa incapacidade de reacção. Há uma loucura escondida por detrás dessa cortina de sobriedade e hipocrisia que nos engana. Cada indivíduo fala a sua própria língua nesta Babel enlouquecida, mas todos se entendem perfeitamente através de códigos indecifráveis, sorrisos amarelos e tapinhas nas costas.

Ninguém se sente seguro, apesar dos altos muros e das cercas eléctricas que nos protegem das consequências dos nossos próprios actos. Os riscos nunca foram tão evidentes e tão mal calculados. Muitos conflitos estão confinados pelas paredes frágeis da diplomacia, da política suja e da falta de vergonha na cara. É muita pressão e nenhuma válvula de escape.

Tudo pode explodir a qualquer momento, mas estamos aqui, firmes e fortes nesta intenção de viver plenamente a liberdade de não querer saber de absolutamente nada que nos faça enxergar a nossa pobre e infeliz realidade.

 

(Renée Venâncio)

 

publicado por artedasao às 11:57

Quinta-feira, 21 de Março de 2013

(Tabuleiro em Madeira Craquelado e com Découpage)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Voo

 

Sinto me livre...assim como um pássaro voando pelo céu posso levantar voo quando quero e parar assim que minhas asas pedirem socorro; sentir o vento tentando, me barrar e saber que sou mais forte que este e que o deixo pra trás; vejo tudo e todos com clareza como se estivesse voltando a enxergar...sim eu estou voltando a enxergar, voltei a ver quem realmente sou, vivo intensamente com o simples da vida, é tão subjectivo mas ao mesmo tempo tão perturbador, como o balançar de um navio perturba o estômago, mas isso só quer dizer que estou viva.

Sou eu novamente, mas em forma de pássaro dessa vez.

Pássaro este que quer ser livre para poder continuar sentindo o vento, o doce prazer do medo de altura, a segurança de só depender de minhas asas...sim confio em mim como nunca confiei antes, afinal se eu não confiasse não estaria voando, não teria saído daquela gaiola que me limitava a visão e a vontade, cansei de só comer, beber e cantar para meu dono ficar feliz. Hoje sou minha própria dona, não bebo nem como...apenas voo por ai até um dia parar...onde? Não sei, não quero saber, para falar a verdade só, quero voar mais e mais até o infinito chegar.

 

(L. Becker)

 

publicado por artedasao às 15:02

Quarta-feira, 20 de Março de 2013

(Fim de Tarde no Mindelo)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

De tarde quero descansar, chegar até á praia e ver

Se o vento ainda está forte

E vai ser bom subir nas pedras

Sei que faço isso pra esquecer

Eu deixo a onda me acertar

E o vento vai levando tudo embora

 

Agora está tão longe

Vê, a linha do horizonte me distrai:

Dos nossos planos é que tenho mais saudade,

Quando olhávamos juntos na mesma direcção

 

Aonde está você agora

Além de aqui dentro de mim?

 

Agimos certo sem querer

Foi só o tempo que errou

Vai ser difícil sem você

Porque você está comigo o tempo todo

 

Quando vejo o mar

Existe algo que diz:

- A vida continua e se entregar é uma bobagem

 

Já que você não está aqui,

O que posso fazer é cuidar de mim

Quero ser feliz ao menos

Lembra que o plano era ficarmos bem?

 

- Ei, olha só o que eu achei: cavalos-marinhos

Sei que faço isso pra esquecer

Eu deixo a onda me acertar

E o vento vai levando tudo embora

 

(Renato Russo)

 

publicado por artedasao às 12:54

Terça-feira, 19 de Março de 2013

(Caixa em madeira trabalhada com imagens 3 D)

 

                                  >>>>>>>>>>><<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Queres ver o que tenho para ti?

Pega o café e senta aí

Olha as fotos deste álbum

Conheces esta senhora aqui?

Sou eu, meu querido!

Espantado?

É, meus cabelos sempre negros, verdade... Agora é isso aí.

O meu relógio é diferente, embora eu lhe tenha arrancado os ponteiros pra me fazer de besta.

Não quero que me entenda. Sim, ainda tenho quarenta.

Não ouve direito o que eu digo?

O que o tempo fez contigo?

Ah, claro que eu entendo.

Escutar eu escuto ainda, mas minha miopia...

Esse vestido preto...

Eu não gostava dele, lembra?

Mas, vá, vê outra foto.

E toma o café senão esfria.

O café!

Haja paciência.

Vá olhando as fotos e responda, tu escreves ainda?

Porque, eu, só de vez em quando...

Claro que sou eu na foto. A que te está esperando na esquina desde 2011.

Sim, na esquina. Pensei que desceria num daqueles ónibus. Que nada! Nem passa mais condução por ali, meu velho.

Mas, leva para ti o álbum. Vê as fotos com calma.

Vou embora e te espero encontrar no passado, mais jovem...

Vai tomar o café frio???

Haja paciência!

 

(Sandra Fuentes)

 

publicado por artedasao às 12:30

Segunda-feira, 18 de Março de 2013

(Porta da Vida)

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Abra uma porta.

 

Abra uma porta qualquer da vida e siga.

Abra um abraço deixando de ser carente.

Entre tantos outros dias que chovia você desanimou e parou.

Abra o guarda-chuva, ou melhor, ande pela chuva

Saia correndo contra o vento e ouça o que ele te diz

Mesmo que te sufoque o nariz

Não reclame do tempo por que ele muda, mas você também.

Não vire as costas e desista por que amanhã você irá acordar.

Desafia esses obstáculos, pois eles se alicerçam a cada momento.

Abra seu sorriso que pode modificar as circunstâncias.

Entendam que tantos são tantas e nada é igual

Mas a sua diferença é que recria o mundo

Faça do seu dia o melhor possível, obstáculos foram feitos para serem vencidos

O tempo às vezes custa a passar, mas saberemos amanha que o ontem já foi.

Entenda que essa pode ser a diferença do teu sorriso

Isso nos da força para continuar.

Sorria, hoje e tente ser feliz

Não deixe que a vida custe caro.

Não deixe que a luz se apague.

Abra uma oportunidade de reconquistar e superar

Abra o coração e consciência que na sua frente, existe o tempo.

Abra então uma porta qualquer da vida e siga

Abra o sorriso que deixa de ser carente

Abra seus braços num abraço feliz e recomece mesmo achando

Que ainda é o fim.

Corra na direcção da felicidade.

Mesmo que te digam que o caminho é outro.

Não existe contra mão. Certezas do coração.

Não aceite, não resista, insista.

Por que a porta que procura é a da vida

E ela ainda pode estar aberta.

 

(Edson Rufo)

 

publicado por artedasao às 10:35

Domingo, 17 de Março de 2013

(Prato em Barro trabalhado com pasta de modelar)

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Código de Barro

 

Tenha sempre a prudência, o velho tino

De saber que não sabe tão profundo

Sobre a vida; os mistérios; o destino;

As verdades de agora e de além-mundo...

 

Se nem sei de qual dom sou oriundo,

Vim brincar de viver; eis o menino

Sob a capa do sábio moribundo

Que descobre-se apenas um cretino...

 

Saibam todos que nosso tudo; é nada,

Somos terra batida nesta estrada

Viciada - nos traga igual cigarro...

 

Não voamos além do próprio chão,

Nem viemos dotados de visão

Para ler nosso código de barro...

 

(Demétrio Sena - Magé - RJ.)

 

publicado por artedasao às 13:32

Sábado, 16 de Março de 2013

(Lustre antigo algures em moradia)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Soneto

 

Pálida à luz da lâmpada sombria,

Sobre o leito de flores reclinada,

Como a lua por noite embalsamada,

Entre as nuvens do amor ela dormia!

 

Era a virgem do mar, na escuma fria

Pela maré das águas embalada!

Era um anjo entre nuvens d'alvorada

Que em sonhos se banhava e se esquecia!

 

Era a mais bela! Seio palpitando...

Negros olhos as pálpebras abrindo...

Formas nuas no leito resvalando...

 

Não te rias de mim, meu anjo lindo!

Por ti - as noites eu velei chorando,

Por ti - nos sonhos morrerei sorrindo!

 

(Álvares de Azevedo)

 

publicado por artedasao às 14:44

Sexta-feira, 15 de Março de 2013

(Taça em vidro trabalhada com técnica das "BUBBLES")

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

“Paredes de vidro...”

 

Mais uma vez me vejo só

Em uma sala com paredes de vidro

E nesta solidão, me vem uma dor

Olho as paredes, e nelas me vejo reflectido.

 

Na parede, tento minha face tocar

Sinto o frio do vibro em minhas mãos

Então, sinto algo a me sufocar

É uma dor forte o que sinto, é solidão.

 

Nesta solidão, me lamento,

Por não conseguir meus olhos ver

Que choram em descontentamento.

Sinto-me fora de meu ser.

 

Vejo pessoas do outro lado

Se parecem com as paredes frias

Em seus mundos vivem isolados

Indiferentes, vivem em apatias.

 

Procuro um rosto amigo

Alguém que eu possa pelo vidro a mão tocar

E com este toque me cause alivio

Por estas paredes de vidro quebrar.

 

(Marcelo G.S)

 

publicado por artedasao às 12:19

Quinta-feira, 14 de Março de 2013

(Mais um olhar de Portugal na Serra São João D'Arga Caminha)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Dois caminhos que se cruzam!


Sob todos os aspectos a vida é uma reflexão!

Uma reflexão que nos leva a pensar e analisar os caminhos que temos que percorrer, quando nossas necessidades gritam dentro de nós esperando uma resposta, procurando uma saída, desejando uma decisão.

Por todos os lados existem diversos tipos de armadilhas esperando que os incautos sejam pegados desprevenidos e sofram todo tipo de consequências. A diversidade de acontecimentos e a multiplicidades de escolhas ao invés de ajudar, muitas vezes joga o homem para dentro de outro conflito: a dúvida e a incerteza da escolha pela melhor decisão.

Reflectir sobre os fatos, analisar a situação, não se deixar levar pelos impulsos, conter as emoções e os sentimentos imediatos, são situações que demandam grande esforço e energia vital para qualquer pessoa. Talvez por causa desta situação extremamente desgastante, muitas pessoas tomam a primeira decisão que aparentemente parece ser a mais acertada: neste caso, a decepção é um acontecimento comum, porque sem reflectir, a opção revelada poderá não ser a melhor!

Se você não fizer a escolha certa poderá adoptar uma medida que não satisfaça as suas reais necessidades, e quando uma necessidade não é plenamente suprida sempre irá requerer que mais força e energia de vida sejam empregadas na busca para a solução acertada.

Ainda que você tenha certeza que precisa tomar uma decisão urgente, ao menos por um momento, é preciso dar tranquilidade à mente e ao coração para decidir-se pela melhor saída.

Você precisa compreender que toda decisão, toda escolha e definição é uma espécie de conflito, de pensamentos diversificados e sentimentos contraditórios que se chocam e se contradizem rápida e fortemente, mas tão passageiros quanto é a sua manifestação. Definir de maneira clara e reter o melhor sentimento nem sempre é uma escolha tão fácil, porque existe sempre uma outra possibilidade. Então, encurtar o caminho é a solução?

Desde a nossa concepção somos levados a reflectir sobre as diversidades e múltiplas escolhas da vida, considerando para isto, que dentre os milhões de espermatozóides que disputavam apenas um óvulo tanto um como outro confrontavam as inúmeras possibilidades, mas apenas um deles conseguiu atingir a meta de concretizar o propósito e tornar real o objectivo da existência. Os outros apenas fizeram parte do momento, mas não puderam existir, porque somente na definição e clareza de propósitos é possível realizar algo, construir uma realidade.

Você é capaz enxergar muito longe, de sentir tudo o que o coração é capaz de suportar, os seus pensamentos levam seu espírito para lugares que jamais seu corpo poderá percorrer e fará com que seus pensamentos entrem num estado de devaneio pelas inúmeras ideias e sensações que percorrerão teu ser até as profundezas da alma, mas isto não é a solução, é apenas um caminho que aponta para uma direcção. Se você não decidir de que forma fazer e como fazer isto poderá se tornar uma prisão e uma armadilha sem saída. Todo caminho está traçado em você mesmo!

 

(Valdeci Alves Nogueira)

 

publicado por artedasao às 14:56

Quarta-feira, 13 de Março de 2013

(Caixas em madeira pintadas e trabalhadas com 3 D)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Com o tempo a gente percebe que as coisas não mudam, é a gente que muda! A gente percebe que aquele "grande amor" na verdade não era tão grande assim! A gente percebe que a vida não é só viver, é saber viver! A gente percebe que não existem coincidências, a vida dá sinais! A gente percebe que o destino quem faz somos nós mesmos! Com o tempo a gente aprende que o sorriso é sempre o melhor remédio! A gente aprende que sofrimento traz sim maturidade. A gente aprende que tudo na vida tem seu momento certo! A gente aprende que a vida é feita de escolhas. A gente aprende que nosso passado nos fez a pessoa que somos hoje! Depois de algum tempo, a gente aprende a diferença, a subtil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. A gente aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. A gente aprende que beijos não são contractos e presentes não são promessas. A gente aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. A gente descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Com o tempo a gente aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, é preciso perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. Viva o agora e não tenha vergonha de ser feliz. Grite se for preciso! Chore… não há problema nenhum em chorar! Procure uma razão para se apaixonar. Renda-se! Mergulhe no que você não conhece! Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento...

 

(Fê Porto)

 

publicado por artedasao às 14:21

Terça-feira, 12 de Março de 2013

(Espigueiro em Pedra Melgaço)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 


Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,

Sê um arbusto no vale mas sê

O melhor arbusto à margem do regato.

Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.

Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva

E dá alegria a algum caminho.

 

Se não puderes ser uma estrada,

Sê apenas uma senda,

Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.

Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...

Mas sê o melhor no que quer que sejas.

 

(Pablo Neruda)

 

publicado por artedasao às 11:54

Segunda-feira, 11 de Março de 2013

(Velas Decorativas com galão, Glitters e Tecido)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Vago Poema

 

Cheirando à areia e sal,

Sou gaivota a sobrevoar o mar.

Sou mistério neste vazio,

Sou o tranquilo voo das aves,

Rumo à linha oscilante, mar e maresia.

Enquanto o vento no areal vai passando,

Como as marcas desenhadas na areia,

Somem as palavras da lembrança,

Como rastros na maré cheia.

Íntima ideia, clara no pensamento,

Que se perde em devaneios e,

Na latência deste silêncio,

Me alimento da poesia alheia.

 

(Sônia Schmorantz)

 

publicado por artedasao às 17:10

Domingo, 10 de Março de 2013

(Varanda Portuguesa na Cidade Berço (Guimarães)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Verdes muros infinitos

Dos quais não se vergam ao chão.

A felicidade ali se depara

Com uma imensa escuridão.

 

Essa escuridão que com velocidade,

Insiste em aumentar.

Por isso me fecho,

E saio de mim...

Para que na luz, não possa, me alcançar.

 

É como se o meu coração

Estivesse adormecido na escuridão...

Nele piscam feixes de luz,

Dos quais não me libertarão.

 

Curar minhas dores...

Eliminar minhas tristezas...

Vim apenas reencontrar a luz

Que em meus olhos ofusca,

Mas ainda não me conduz...

 

(Sara Schneider)

 

publicado por artedasao às 11:19

Sábado, 09 de Março de 2013

(Caixa em Madeira Trabalhada com Técnica de Guardanapo)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Joaninha encarnada

Mil mulheres numa só;

Pequenina e delicada,

Mas firme como Jó!

 

Joaninha enamorada,

Faz poesias de flor

Carrega nas patinhas,

Mil palavras de amor

 

Joaninha imaculada

De alma pura e inocente,

Mas quando ama,

Vira o capeta

Sem nenhuma etiqueta

 

(Lina Marano)

 

publicado por artedasao às 11:42

Sexta-feira, 08 de Março de 2013

(Casa abrigo do Clube Celtas do Minho na Serra de São João D'Arga Caminha)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

O Cântico da Terra

 

Eu sou a terra, eu sou a vida.

Do meu barro primeiro veio o homem.

De mim veio a mulher e veio o amor.

Veio a árvore veio a fonte.

Vem o fruto e vem a flor.

 

Eu sou a fonte original de toda vida.

Sou o chão que se prende à tua casa.

Sou a telha da coberta de teu lar.

A mina constante de teu poço.

Sou a espiga generosa de teu gado e certeza tranquila ao teu esforço.

Sou a razão de tua vida.

De mim vieste pela mão do Criador, e a mim tu voltarás no fim da lida.

Só em mim acharás descanso e Paz.

 

Eu sou a grande Mãe Universal.

Tua filha, tua noiva e desposada.

A mulher e o ventre que fecundas.

Sou a gleba, a gestação, eu sou o amor.

 

A ti, ó lavrador, tudo quanto é meu.

Teu arado, tua foice, teu machado.

O berço pequenino de teu filho.

O algodão de tua veste e o pão de tua casa.

 

E um dia bem distante a mim, tu; voltarás.

E no canteiro materno de meu seio tranquilo dormirás.

 

Plantemos a roça.

Lavremos a gleba.

Cuidemos do ninho, do gado e da tulha.

Fartura, teremos e donos de sítio felizes; seremos.

 

(Cora Coralina)

 

publicado por artedasao às 10:53

Quinta-feira, 07 de Março de 2013

(Caixa em Madeira pintada e decorada)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Soneto

 

O quanto perco em luz conquisto em sombra.

E é de recusa ao sol que me sustento.

Às estrelas, prefiro o que se esconde

Nos crepúsculos graves dos conventos.

 

Humildemente  envolvo-me na sombra

Que veste, à noite, os cegos monumentos

Isolados nas praças esquecidas

E vazios de luz e movimento.

 

Não sei se entendes: em teus olhos nasce

A noite côncava e profunda enquanto,

Clara manhã revive em tua face.

 

Daí amar teus olhos mais que o corpo

Com esse escuro e amargo desespero

Com que haverei de amar depois de morto.

 

(Carlos Pena Filho)

 

publicado por artedasao às 11:06

pesquisar
 
Março 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro