TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Quinta-feira, 24 de Outubro de 2013

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

O pato pateta pulou a caneca, bateu…

 

Os dois patos,

Na beira da lagoa,

Esperam migalhas de amor.

Amor puro,

Amor sincero,

Daqueles raros,

Que terminam sempre com um abraço.

 

Mas por enquanto querem os patos

se abraçar em um laço.

 

Os dois patos,

-Patetas,

-Palhaços,

Procurando por diversão,

Não sabem nem aonde irão,

Será a lua o destino,

Ou o sol tão sozinho?

Será ao mar violento,

Ou se jogarão ao vento?

 

Peças sem destino,

Girando como redemoinho,

No furacão do coração,

Que juntou esses dois sem noção.

 

-Só por zoarão.

 

Aonde irão meu Deus?

Aonde irão.

 

Irão voar para os céus.

Se não caírem no vão.

 

(QuáQuáQuáQuá!)

 

(CHEILA WIGGERS)

 

publicado por artedasao às 13:34

Terça-feira, 08 de Outubro de 2013

(Pomba no Via Catarina no Porto)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

As Pombas

 

Vai-se a primeira pomba despertada...

Vai-se outra mais... Mais outra... Enfim dezenas

De pombas, vão-se dos pombais, apenas

Raia, sanguínea e fresca, a madrugada...

 

E, à tarde, quando a rígida nortada

Sopra, aos pombais, de novo, elas serenas,

Ruflando as asas, sacudindo as penas,

Voltam todas em bando e em revoada...

 

Também dos corações, onde abotoam,

Os sonhos, um por um, céleres voam,

Como voam as pombas dos pombais:

 

No azul da adolescência as asas soltam,

Fogem... Mas aos pombais as pombas voltam,

E eles ao coração não voltam mais.

 

(Raimundo Correia)

publicado por artedasao às 11:40

Terça-feira, 10 de Setembro de 2013

Antes do voo, pés no chão

(DoM Moura)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Fantasia em Voo

 

Um beijo na tua boca

com muito amor e carinho

é melhor e mais gostoso

que uma taça de vinho

 

Teus olhos lagos serenos

são a minha perdição

Teu corpo pegando fogo

até parece vulcão

 

Vou atirando palavras

rumo ao teu coração

como menino brincando

com cinco pedras na mão

 

Queria ser uma rosa

pregada no teu vestido

para morrer afogado

no teu decote atrevido

 

No terreiro do teu corpo

quero ser um "passarim"

ciscando meu bom almoço

numa alegria sem fim.

 

(Joseph E. de Sousa)

 

publicado por artedasao às 14:45

pesquisar
 
Abril 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Arte da São
conter12
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro