TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Quarta-feira, 02 de Outubro de 2013

O Amor é grande e cabe nesta Janela

(Carlos Drumond de Andrade)

 

           >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



            >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Não se assuste meu amigo

 

Se por acaso eu te digo

 

Que uma flor bem amarela

 

Despontou em sua janela

 

 

 

É uma flor bem estranha

 

De uma beleza tamanha

 

Parece até que o sol está nela

 

Nesta flor que despontou em sua janela

 

 

(Vivian Maria)

 

publicado por artedasao às 11:38

Segunda-feira, 22 de Julho de 2013

(Entrada de Luz na Igreja Bom Jesus da Cruz em Barcelos onde se pode apreciar entre outras coisas os seus belos Azulejos)

 

                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Nem sempre as coisas darão certo,

 

Nem sempre a luz em tua vida irá brilhar,

 

Mais sempre procure fazer o correcto,

 

Pra que um amor você possa encontrar.

 

 

Alguém que demonstre o amor,

 

Alguém que demonstre a paixão,

 

Alguém que lhe dê o calor,

 

Que fortalece teu coração.

 

 

Se tal pessoa lhe demonstrar,

 

Por quê não deixe o amor fluir?

 

Deixe em tua alma a paixão entrar,

 

Talvez isso jamais deixará de existir.

 

 

Que esses versos não se vá com ar,

 

Que as estrofes lhe passe uma lição,

 

Há tantas coisas pra deixar brotar,

 

Que pode-lhe tirar desta sua tensão.

 

 

Que a poesia jamais se cale,

 

Que as frases ainda possam resistir,

 

Que este amor nunca se acabe,

 

Pois é hora do poeta partir.

 

(Aysllan Ferreira)


publicado por artedasao às 14:52

Segunda-feira, 01 de Julho de 2013

(Fotografia de Janela com Roupa a secar no Interior)

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Alegria de Recomeçar

 

 

 

Hoje os dias estão mais alegres

 

Já bate em minha janela o vento trazendo um novo dia

 

E eu, quem diria,

 

Com uma nova e inesperada alegria.

 

 

 

Já se passaram dias difíceis

 

Onde nem se pensava em nascer o sol

 

Só um rude vento e a escuridão

 

Que penetrava em meu lençol

 

 

 

Hoje, já posso abrir os olhos e ver

 

Que o dia se abre para mim

 

Já consigo ver que um novo começo

 

Pode nascer a partir dum fim.

 

 

 

(Dhanny Rd)

 

 

publicado por artedasao às 15:59

Domingo, 10 de Março de 2013

(Varanda Portuguesa na Cidade Berço (Guimarães)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Verdes muros infinitos

Dos quais não se vergam ao chão.

A felicidade ali se depara

Com uma imensa escuridão.

 

Essa escuridão que com velocidade,

Insiste em aumentar.

Por isso me fecho,

E saio de mim...

Para que na luz, não possa, me alcançar.

 

É como se o meu coração

Estivesse adormecido na escuridão...

Nele piscam feixes de luz,

Dos quais não me libertarão.

 

Curar minhas dores...

Eliminar minhas tristezas...

Vim apenas reencontrar a luz

Que em meus olhos ofusca,

Mas ainda não me conduz...

 

(Sara Schneider)

 

publicado por artedasao às 11:19

Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2013

(Um olhar diferente)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

"Se alguém lhe bloquear a porta,

Não gaste energia com o confronto,

Procure as janelas.

 

Lembre-se da sabedoria da água:

... A água nunca discute

Com seus obstáculos

Mas o contorna.

 

Quando alguém o ofender

Ou o frustrar,

Você é a água e a pessoa que o feriu

É o obstáculo!

Contorne-o sem discutir.

 

Quem fez chorar, não te merece

Aprenda a amar sem esperar

Muito dos outros."

 

(Autor Desconhecido)

 

publicado por artedasao às 12:01

Segunda-feira, 05 de Novembro de 2012

Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

A lenda do perdão

 

Conta uma antiga lenda que existia uma cidade onde a palavra perdão nunca existiu.

As pessoas eram, portanto, donas da verdade, arrogantes e sofriam de uma terrível moléstia, complexo de superioridade.

A convivência era bastante complicada porque todos se consideravam perfeitos e com isso não enxergavam, nem admitiam seus defeitos, erros e equívocos.

Nessa cidade reinava a vaidade, a competição e a inimizade, por mais que elas andassem disfarçadas por detrás de sorrisos e manifestações de afecto.

Um dia uma mulher, vinda de outra cidade, foi morar lá.

Todas as tardes ia até a padaria e na volta sempre passava por uma praça onde um grupo de rapazes jogava bola.

Seu trajecto seria bem menor se ela cruzasse a praça, mas para não atrapalhar o jogo deles ela fazia o seu caminho contornando a praça. Claro que nenhum deles nunca percebeu ou deu valor à sua gentileza. Naquela cidade muito poucos entendiam desse assunto.

 

Certo dia essa mulher estava cheia de preocupações, com a cabeça bastante perturbada e na volta da padaria não se deu conta do caminho que tomou e atravessou a praça no exacto momento em que um dos rapazes ia fazer um gol. O jogo parou, todos se olharam e o tal jovem, muito bravo, perguntou à ela:

- A senhora não está vendo o que fez? Que falta de atenção, até mesmo de consideração! Custava dar a volta na praça?

E ela respondeu:

- Há cerca de seis meses que todos os dias eu dou a volta na praça para não atrapalhar o jogo de vocês. Hoje, no entanto, eu confesso que me distraí. Estava muito envolvida com meus pensamentos. Peço a todos vocês, perdão por isso.

Ninguém entendeu o que ela quis dizer e um dos meninos perguntou:

- Perdão? O que é perdão? Nunca ouvimos essa palavra.

Perdão é um ato de humildade, embora alguns julguem ser um ato de humilhação.

Os meninos foram para suas casas muito pensativos e contaram a seus pais sobre o perdão.

Errar, cometer injustiças, tomar atitudes precipitadas que podem prejudicar e magoar terceiros, são coisas das quais todo ser humano está sujeito.

 

Reconhecer seus erros e pedir perdão, no entanto, nem todos os seres humanos são capazes.  Para isso é necessária uma enorme dose de humildade, um coração sensato e um espírito elevado.

Só os grandes sabem pedir perdão!

Dizem que aquela cidade anda muito diferente, mais alegre, as pessoas mais amigas, menos rivalidades e que todos além de terem aprendido a pedir perdão, agora também estão aprendendo a perdoar.

 

(Silvana Duboc)

 

publicado por artedasao às 10:34

Domingo, 14 de Outubro de 2012

Guimarães Capital Europeia da Cultura

 

(Feira Medieval)

                                      »»»»»»»»»«««««««

                                      »»»»»»»»««««««««

Lágrimas e risos!

Não há mais entrada na minha porta

Ela está fechada, eu joguei a chave fora

Amanhã quem sabe eu me arrependa

Porém hoje a calmaria é a minha senda

 

Engraçado, ontem eu sorria!

Eu até escrevi alguns versos de alegria

Só que hoje me veio o imprevisto, dia de sol com chuvisco!

Uma vontade imensa de esquecer que eu existo

 

Quando a música cessou eu estava em festa

E agora só o silêncio é o que me resta

Eu aprontava as malas para uma grande viagem

Eu me vesti de princesa e roubaram a carruagem!

 

Eu delirava acordada e de repente eu despertei

E devastaram o universo inteiro enquanto eu me ausentei!

Eu caminhava em solo firme em direcção do amor,

Eu me perdi pelo caminho e encontrei a dor!

 

Eu velejava num barco em alto mar

E uma onda gigantesca apareceu para me abocanhar

Eu estava quase chegando ao topo do morro

Eu deslizei e nem deu tempo de eu pedir socorro!

 

Na minha piscina havia água limpa e cristalina

Mas ficou turva por causa da minha tristeza repentina!

Eu andava sobre as nuvens lá no paraíso

Elas sumiram, eu caí; eu perdi o piso!

 

De manhã o meu jardim estava vestido de flores

De noite elas murcharam e perderam as cores!

Em um ano eu obtive tudo o que eu queria

Em poucas horas tudo foi carregado pela ventania!

 

Eu estava esmorecendo e eu me amparei na última oportunidade

Então ceifaram a esperança e eu percebi a minha fragilidade

Eu cantava em voz alta a mais linda melodia

E as cortinas se fecharam enquanto eu sorria!

 

Eu percorri um longo caminho para chegar neste desfecho:

Que um dia eu vou sentir dor e no outro a felicidade que eu tanto almejo

Se o meu sorriso persistisse para sempre, algo estaria errado!

Pois eu necessito das lágrimas para avançar com mais cuidado!

 

(Janete Sales ( Dany))

 

 

publicado por artedasao às 13:35

Domingo, 09 de Setembro de 2012

                                     »»»»»»»»««««««««

                                     »»»»»»»»««««««««

Vejo pessoas acorrentadas na rotina

Outras atrás das grades

Algumas em busca da sobrevivência

Outros só atraem vaidade!

 

Pessoas se corrompendo por dinheiro

Umas juntando rancor, má-fé, vingança... Desespero!

Alguns desistindo de ter vida

Outros vivem até demais... Experiência com sabedoria!

Tantas pessoas ao nosso redor passam até despercebidas.

 

Tudo porque a paz já não existe

Agora "tudo" tem final triste!

Tantos génios já se foram

Tantas vozes se calaram

O bom da música acabou... Meu ouvido se isolou!

Relembrar e reviver é o que restou!

 

A felicidade foi morar longe

O amor se encontra velho, frio, onde se esconde?

E a verdadeira "VIDA"? Foi parar aonde?

Vou procurar, fazer de tudo para beber dessa fonte.

 

Vejo cultura se degradar lentamente

O povo nem quer mais saber da mente

A natureza some rapidamente... Ah! Que vergonha é essa?

Creio que seja a má administração do homem que só tem pressa

Estamos perecendo num mar de hipocrisia

Onde se deposita o voto no bolso do político vigarista.

 

O ar!? Já não respiraremos

Água!? Já não beberemos

E quem riu do nordeste

Vai virar "Cabra da Peste"

Calor vai ter de monte, vão morar debaixo da ponte

Ah?! Não é lugar digno? Por quê na hora de poluir deu risada e jogou o lixo?

Agora descerão lágrimas de arrependimento, da sociedade que só soube pensar em dinheiro

Dinheiro agora não será água, comida, nem casa!

Vai ficar vagando com sua família no meio do nada...

Infelizmente.

Cada um, caminha junto com a quebrada!

 

(Cauê Drumond)

 

publicado por artedasao às 15:54

Quarta-feira, 01 de Agosto de 2012

Se você abre uma porta, você pode ou não entrar em uma nova sala. Você pode não entrar e ficar observando a vida. Mas se você vence a dúvida, o temor, e entra, dá um grande passo: nesta sala vive-se! Mas, também, tem um preço... São inúmeras, outras portas que você descobre. Às vezes curte-se mil e uma. O grande segredo é saber quando e qual porta deve ser aberta. A vida não é rigorosa, ela propicia erros e acertos. Os erros podem ser transformados em acertos quando com eles se aprende. Não existe a segurança do acerto eterno. A vida é generosa, a cada sala que se vive, descobre-se tantas outras portas. E a vida enriquece quem se arrisca a abrir novas portas. Ela privilegia quem descobre seus segredos e generosamente oferece afortunadas portas. Mas a vida também pode ser dura e severa. Se você não ultrapassar a porta, terá sempre a mesma porta pela frente. É a repetição perante a criação, é a monotonia monocromática perante a multiplicidade das cores, é a estagnação da vida... Para a vida, as portas não são obstáculos, mas diferentes passagens!

 

(Içami Tiba)

                                          »»»»»»»«««««««

                                          »»»»»»»«««««««

publicado por artedasao às 16:10

Terça-feira, 31 de Julho de 2012

Aqui, nessa janela, ouço tudo o que acontece lá fora, e mesmo assim me sinto mais alheia, minha janela não me mostra o que acontece do lado externo, a janela me mostra o que acontece aqui dentro. Ela serve apenas pra levar minhas mágoas que se tornam leves, e saem voando por ai. Escuto conversas bobas e me sinto melhor, percebo cada vez mais que não pertenço a esse grupo de pessoas hipócritas, preconceituosas e ignorantes, que possuem uma liberdade acorrentada, presos a um tradicionalismo imbecil.

Assim vou, me permitindo, vou vivendo uma vida realmente minha, uma vida que acabei de conhecer e que me acompanhará enquanto eu durar. Quanto tempo, vou durar? Não sei, talvez até amanhã, talvez Eternamente.

 

(Zade Bretas)

                                       »»»»»»»«««««««

                                       »»»»»»»«««««««

publicado por artedasao às 15:08

Domingo, 29 de Julho de 2012

Houve um tempo em que minha janela se abria

Sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.

Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.

Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,

E o jardim parecia morto.

Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde,

E, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.

Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.

E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.

Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.

Outras vezes encontro nuvens espessas.

Avisto crianças que vão para a escola.

Pardais que pulam pelo muro.

Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.

Borboletas brancas, duas a duas, como reflectidas no espelho do ar.

Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega.

Às vezes, um galo canta.

Às vezes, um avião passa.

Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.

E eu me sinto completamente feliz.

Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas,

Que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem,

Outros que só existem diante das minhas janelas, e outros,

Finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.

 

(Cecília Meireles)

                                         »»»»»»»«««««««

                                         »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 11:56

Segunda-feira, 09 de Julho de 2012

Atrás dessas grades deve ter um mundo novo, só esperando que eu saia para ser descoberto. Novas pessoas esperando por novos tempos. Novas vidas esperando por novos ares. Só esperando. Eu também espero. Espero um dia sair de casa e ter a certeza de que vou voltar. Ter certeza de que mais uma criança no mundo não é sinal de preocupação e sim de alegria. Eu queria poder ter certezas.

 

(Verónica H.)

                                    »»»»»»»«««««««

                                      »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 12:42

Terça-feira, 03 de Julho de 2012

Quando o sol bater

Na janela do teu quarto,

Lembra e vê

Que o caminho é um só,

 

Porque esperar

Se podemos começar

Tudo de novo?

Agora mesmo.

 

A humanidade é desumana

Mas ainda temos chance,

O sol nasce para todos,

Só não sabe quem não quer.

 

Até bem pouco tempo atrás,

Poderíamos mudar o mundo,

Quem roubou nossa coragem?

Tudo é dor,

E toda dor vem do desejo,

De não sentimos dor.

(Renato Russo)

                               »»»»»»»«««««««

                               »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 21:00

Quarta-feira, 20 de Junho de 2012

"Quando abro a cada manhã a janela do meu quarto.

É como se abrisse o mesmo livro numa página nova..."

 

(Mario Quintana)

                                         »»»»»»»«««««««

                                          »»»»»»»«««««««

publicado por artedasao às 15:17

pesquisar
 
Abril 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro