TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Terça-feira, 07 de Janeiro de 2014

(O Meu Último Trabalho de Pintura em 2013) "ONDA"

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

Dentro de Mim

 

 

O que está dentro de mim

 

Está dentro de mim

 

Ninguém arranca

 

Se eu não quiser

 

Ninguém me tira do chão

 

Ou me faz descer das nuvens

 

Se eu não me dispuser

 

A navegar meus rios

 

A contemplar meus desvarios

 

A devastar meus mares

 

A conhecer em mim diferentes lugares

 

Cubro-me de sonhos

 

Ventilados pela poesia

 

Que cintilam no céu da nostalgia

 

Há dissabores e lágrimas

 

Agarrados às minhas saias

 

Também encontro ondas de amor e alegria

 

Percorrendo as minhas praias

 

Não é assim o vai e vem do mar da vida?

 

Escrevo sobre o que salta das minhas areias

 

Até encontrar a saída

 

 

(Úrsula A. Vairo Maia)

 

 

tags: ,
publicado por artedasao às 17:29

Quarta-feira, 04 de Dezembro de 2013

(Um Olhar o Horizonte e o Mar em Vila do Conde)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

A Tristeza do Mar

 

 

Pareciam tristes

As ondas dispersas

Beijando a areia

Nas praias desertas.

 

Um vento frio

Meu corpo gelou

Minha alma nua

Ao mar se entregou.

 

Aí que compreendi

A tristeza do mar

A noite estava nua

Céu sem estrelas, sem lua.

 

Pela primeira vez

Na minha vida

Senti-me triste

Sem saber bem porquê.

 

Minha vida sem luz, sem lua

Meu coração é uma estrada nua

Um mar de incertezas

Onde navego minhas tristezas.

 

(Nidia Cintra)

 

publicado por artedasao às 09:47

Domingo, 24 de Novembro de 2013

(Fotografia captada em Árvore Vila do Conde)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Por Trás do Pôr-do-Sol

 

 

Lembranças de dias passados chegam ao entardecer,

juntamente com o brilho do sol ao se esconder.

Entre saudades e recordações saem alguns versos,

em uma amassada folha repleta de traços.

 

E um brilho reluzente me faz companhia,

anunciando que chega ao fim mais um dia.

Sem minha permissão vejo-me envolvida,

pela beleza do sol na água reflectida.

 

E aquele velho horizonte me trás saudade,

de todas as lembranças boas de um final de tarde.

Das inesquecíveis histórias que vivi ali

que até hoje por algum motivo forte não esqueci.

 

Entre o cantar dos pássaros e o barulho vento,

eu fico ali presenciando tal sentimento.

Que por minutos toma conta de mim,

desejando o mesmo que nada tenha fim.

 

Então permaneço ali, até a noite chegar

com a esperança de alguém encontrar.

Seja em minhas fortes lembranças que ficam aqui

ou, com alguém que tem que partir.

 

E neste pôr-do-sol relembro o que passei

entre dias e meses, tudo que me tornei.

E na companhia das lágrimas nesses versos coloco fim

Desejando que a capacidade de sonhar sempre permaneça em mim.

 

(Juliane Bastos)

 

 

publicado por artedasao às 10:33

Sábado, 02 de Novembro de 2013

Os jovens têm a memória curta e os olhos para ver apenas o nascer do sol;

para o poente olham apenas os velhos, aqueles que viram o ocaso tantas vezes.

(Giovanni Verga)

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Quando as folhas caírem nos caminhos,

ao sentimentalismo do Sol Poente,

nós dois iremos vagarosamente,

de braços dados, como dois velhinhos…

 

E que dirá de nós toda essa gente,

quando passarmos mudos e juntinhos?

- "Como se amaram esses coitadinhos!

Como ela vai, como ele vai contente!"

 

E por onde eu passar e tu passares,

Hão-de seguir-nos todos os olhares

E debruçar-se as flores nos barrancos…

 

E por nós, na tristeza do Sol-posto,

Hão-de falar as rugas do meu rosto…

Hão-de falar os teus cabelos brancos…

 

(Guilherme de Almeida)



publicado por artedasao às 12:22

Segunda-feira, 28 de Outubro de 2013

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

O Pôr-do-Sol

 

Adoro ver o pôr-do-sol,

lá ao fundo no horizonte,

assim como um girassol,

para ele virado de fronte.

 

Adoro ver o sol no mar,

sentado na areia da praia,

é tão bom estar a admirar,

como ele na água desmaia.

 

É a mais bela das imagens

que um artista poderá criar,

o lusco-fusco nas margens,

a luz do sol reflectida no mar.

 

Adoro ver o céu avermelhado,

quando o sol está a desaparecer,

é coisa de que não fico cansado,

pois para sempre vai acontecer.

 

(José Couto)

 

publicado por artedasao às 12:05

Terça-feira, 22 de Outubro de 2013

(Pôr-do-Sol em Vila do Conde)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

O Pôr-do-sol

 

 

Quando o Sol se despede

na linha do entardecer

é hora em que os poetas

começam a escrever

 

Impossível ficar indiferente

a este Astro de Luz

seus raios são envolventes

e ao poeta seduz

 

Sinto-me tão pequenina

diante a magnitude da aurora

que inspiração tão divina

desce em nós nesta hora

 

Ah. O pôr-do-sol, que belo

o mais belo momento do dia

no horizonte tudo amarelo

tanta luz, tanta poesia

 

Sinto a alma embriagada

bebendo toda esta Luz

ah! estou inspirada

pelo Sol que me seduz!

 

(Lucineia Magri & Poemas)

 

publicado por artedasao às 12:22

Segunda-feira, 07 de Outubro de 2013

Arte de Pesca Artesanal

 

Muregonas; são armadilhas de forma esférica. As espécies capturadas são a choupa, a mucharra, a bica, e a ferreira.

 

                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Busque Amor novas artes, novo engenho,

para matar me, e novas esquivanças;

que não pode tirar me as esperanças,

que mal me tirará o que eu não tenho.

 

Olhai de que esperanças, me mantenho!

Vede que perigosas seguranças!

Que não temo contrastes nem mudanças,

andando em bravo mar, perdido o lenho.

 

Mas, conquanto não pode haver desgosto

onde esperança falta, lá me esconde

Amor, um mal que mata e não se vê.

 

Que dias há que n'alma me tem posto

um não sei quê, que nasce não sei onde,

vem, não sei como, e dói, não sei porquê.

 

(Luís de Camões)

 

publicado por artedasao às 14:17

Segunda-feira, 17 de Junho de 2013

(Barco Praia de Galapos Setúbal)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Urgentemente

 

É urgente o amor.

 

É urgente um barco no mar.

 

É urgente destruir certas palavras.

 

Ódio, solidão e crueldade,

 

Alguns lamentos

 

Muitas espadas.


 

É urgente inventar alegria,

 

Multiplicar os beijos, as searas,

 

É urgente descobrir rosas e rios

 

E manhãs claras

 

 

 

Cai o silêncio nos ombros e a luz

 

Impura, até doer.

 

É urgente o amor, é urgente

 

Permanecer.

 

(Eugénio de Andrade)

 

publicado por artedasao às 11:27

Quarta-feira, 20 de Março de 2013

(Fim de Tarde no Mindelo)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

De tarde quero descansar, chegar até á praia e ver

Se o vento ainda está forte

E vai ser bom subir nas pedras

Sei que faço isso pra esquecer

Eu deixo a onda me acertar

E o vento vai levando tudo embora

 

Agora está tão longe

Vê, a linha do horizonte me distrai:

Dos nossos planos é que tenho mais saudade,

Quando olhávamos juntos na mesma direcção

 

Aonde está você agora

Além de aqui dentro de mim?

 

Agimos certo sem querer

Foi só o tempo que errou

Vai ser difícil sem você

Porque você está comigo o tempo todo

 

Quando vejo o mar

Existe algo que diz:

- A vida continua e se entregar é uma bobagem

 

Já que você não está aqui,

O que posso fazer é cuidar de mim

Quero ser feliz ao menos

Lembra que o plano era ficarmos bem?

 

- Ei, olha só o que eu achei: cavalos-marinhos

Sei que faço isso pra esquecer

Eu deixo a onda me acertar

E o vento vai levando tudo embora

 

(Renato Russo)

 

publicado por artedasao às 12:54

Sexta-feira, 08 de Fevereiro de 2013

(Um olhar para a beleza do Mar da Nazaré)

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

Nevoeiro


Entre o cais de partida e o de chegada

Deste mistério a que chamamos vida,

Olhando em volta não se vê mais nada

Que o nevoeiro da despedida.

Mal se nasce, inicia-se a contagem

Do que temos de deixar

Ao longo da viagem.

São contas de sumir, não de somar,

Mais de perder do que de achar.

Mas não se tira vantagem

Do que lançamos ao mar

E para se ser livre e ser inteiro

Importa ousar romper o nevoeiro.

 

(Torquato da Luz)

 

publicado por artedasao às 10:56

Terça-feira, 07 de Agosto de 2012

Andar á beira-mar

Respirar fundo esse ar

Olhar o horizonte

E se perder na imensidão...

Delírio de poeta?

Rimas de um trovador?

Não...

Canções de dor

Canção de amor

Que diferença faz?

O dedilhar nas cordas frias

Se nada agora importa

As ondas se acalmaram

Um barco passou...

Bom mesmo é o calor no corpo

Calor na alma embriagada

Pelas lembranças de outrora

Esse mistério

Esse marasmo

Esse esplendor.

 

(Dilean de Bragança)

                                      >>>>>>><<<<<<<

                                      >>>>>>><<<<<<<

 

publicado por artedasao às 11:24

Domingo, 05 de Agosto de 2012

Versos na Areia

 

Escrevo versos na areia

Bordados a ponto de luz

Canções que o vento leva

 

Palavras cruzadas de amor

Cantadas a ponto de cruz

 

Selo sem marca d`água

Tormento que me seduz

 

Morro na praia dos sonhos

Entre a cruz e a luz, embalada

Entre a mágoa e a saudade

Uma imagem desenhada

 

(Luiza Caetano)

                                       >>>>>>><<<<<<<

                                       >>>>>>><<<<<<<

 

publicado por artedasao às 12:11

Quinta-feira, 21 de Junho de 2012
Toda manhã, na África, um Leão acorda. Ele sabe que deverá correr mais rápido do que a Gazela ou morrerá de fome. Quando o sol surge no horizonte, não importa se você é Leão ou Gazela, é melhor você começar a correr.

(Ditado popular italiano)

                                       »»»»»»»«««««««


                                       »»»»»»»«««««««

O meu olhar da Praia de Árvore (Vila do Conde) ao Pôr do Sol

 

publicado por artedasao às 16:40

Domingo, 22 de Abril de 2012

Levanta a cortina dos teus olhos
Contempla a maravilha do amanhecer
A vida é uma criança,
esperta, bonita, inteligente
Passa correndo, é preciso ver
Acredita, enquanto há tempo:
não existe dor sem alento
nem tristeza tão longe da alegria
quando a luz de cada dia,
acende a vida,
iluminando o amanhecer
Não vacila, toma posse
da imensa alegria de viver.

(Ivone Boechat)

 

 

Uma das minhas Pinturas a Óleo

tags: ,
publicado por artedasao às 16:45

Sábado, 07 de Abril de 2012

 

 

                                             -----------

 

 

ONDAS

Batem forte na rocha

Depois, cansadas de tanta luta  

Espraiam serenas na areia

Que as beija e acolhe

Como porto seguro

Trazendo de volta

Meu sonhar tão puro   

(Arte da São)

 

tags: ,
publicado por artedasao às 11:06

pesquisar
 
Abril 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro