TRABALHOS de ARTES DECORATIVAS em: Madeira, Vidro, Velas, Chacota, Arte Floral, Eva, Patchwork, Pintura, Fotografia e Scrapbooking

Domingo, 24 de Novembro de 2013

(Fotografia captada em Árvore Vila do Conde)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Por Trás do Pôr-do-Sol

 

 

Lembranças de dias passados chegam ao entardecer,

juntamente com o brilho do sol ao se esconder.

Entre saudades e recordações saem alguns versos,

em uma amassada folha repleta de traços.

 

E um brilho reluzente me faz companhia,

anunciando que chega ao fim mais um dia.

Sem minha permissão vejo-me envolvida,

pela beleza do sol na água reflectida.

 

E aquele velho horizonte me trás saudade,

de todas as lembranças boas de um final de tarde.

Das inesquecíveis histórias que vivi ali

que até hoje por algum motivo forte não esqueci.

 

Entre o cantar dos pássaros e o barulho vento,

eu fico ali presenciando tal sentimento.

Que por minutos toma conta de mim,

desejando o mesmo que nada tenha fim.

 

Então permaneço ali, até a noite chegar

com a esperança de alguém encontrar.

Seja em minhas fortes lembranças que ficam aqui

ou, com alguém que tem que partir.

 

E neste pôr-do-sol relembro o que passei

entre dias e meses, tudo que me tornei.

E na companhia das lágrimas nesses versos coloco fim

Desejando que a capacidade de sonhar sempre permaneça em mim.

 

(Juliane Bastos)

 

 

publicado por artedasao às 10:33

Segunda-feira, 28 de Outubro de 2013

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

O Pôr-do-Sol

 

Adoro ver o pôr-do-sol,

lá ao fundo no horizonte,

assim como um girassol,

para ele virado de fronte.

 

Adoro ver o sol no mar,

sentado na areia da praia,

é tão bom estar a admirar,

como ele na água desmaia.

 

É a mais bela das imagens

que um artista poderá criar,

o lusco-fusco nas margens,

a luz do sol reflectida no mar.

 

Adoro ver o céu avermelhado,

quando o sol está a desaparecer,

é coisa de que não fico cansado,

pois para sempre vai acontecer.

 

(José Couto)

 

publicado por artedasao às 12:05

Quinta-feira, 03 de Outubro de 2013

(Praia Fluvial nas Minas de São Domingos, Mértola Alentejo) 

 

Uma pérola esquecida na praia, ainda que não seja notada, nem apanhada ou devidamente reconhecida, nunca perde o seu valor.

(Augusto Branco)

 

                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Reflexos

 

Cada vez que me olho no espelho,

Não procuro por rugas; procuro por mim.

Olho em meus olhos... Será que eu me conheço?

Procuro então, descobrir minha essência.

Quem realmente, eu sou?

Em algum lugar, será que me perdi?

Se for assim, preciso me encontrar...

Exorcizar meus demónios interiores, me libertar!

De facto, eu não procuro pelas rugas,

Quando me olho no espelho.

Elas é que procuram por mim.

 

(Cláudia Banegas)

 

publicado por artedasao às 13:21

Quarta-feira, 18 de Setembro de 2013

(Rio Vez  Praia Fluvial em Arcos de Valdevez)

 

Não deixes crescer a erva no caminho da Amizade.

(Platão)

 

                >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>


 

“Existem durante nossa vida, sempre dois caminhos a seguir: aquele que todo mundo segue, e aquele que a nossa imaginação nos leva a seguir. O primeiro pode ser mais seguro, o mais confiável, o menos crítico, o que você encontrará mais amigos … mas, você será apenas mais um a caminhar. O segundo, com certeza vai ser o mais difícil, mais solitário, o que você terá maiores críticas; mas também, o mais criativo, o mais original possível. Não importa o que você seja, quem você seja, ou que deseja na vida, a ousadia em ser diferente reflecte na sua personalidade, no seu carácter, naquilo que você é. E é assim que as pessoas lembrarão de você um dia.”


(Ayrton Senna)

 

publicado por artedasao às 12:01

Terça-feira, 02 de Julho de 2013

(Festival Internacional de Escultura em Areia (Algarve) FIESA 2012)

 

                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<



                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<


 

Amigos.

 

 

A família que nós escolhemos,

 

Convivemos, aprendemos, crescemos

 

Aos poucos criamos um laço,

 

Que finalizamos com um abraço

 

 

Com o tempo aprendemos,

 

Que quanto mais tempo passa

 

O que sentimos vai crescendo

 

E o sentimento, com o tempo não pára

 

 

 

O tempo não para, crescemos

 

Cada um tomou seu rumo

 

Mas nunca nos esquecendo

 

 

 

E um dia nos reencontraremos

 

E dos velhos e bons tempos lembraremos

 

E juntos, os reviveremos!

 

 

(Patrícia Budach)

 

 

publicado por artedasao às 12:32

Quarta-feira, 20 de Março de 2013

(Fim de Tarde no Mindelo)

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                  >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

De tarde quero descansar, chegar até á praia e ver

Se o vento ainda está forte

E vai ser bom subir nas pedras

Sei que faço isso pra esquecer

Eu deixo a onda me acertar

E o vento vai levando tudo embora

 

Agora está tão longe

Vê, a linha do horizonte me distrai:

Dos nossos planos é que tenho mais saudade,

Quando olhávamos juntos na mesma direcção

 

Aonde está você agora

Além de aqui dentro de mim?

 

Agimos certo sem querer

Foi só o tempo que errou

Vai ser difícil sem você

Porque você está comigo o tempo todo

 

Quando vejo o mar

Existe algo que diz:

- A vida continua e se entregar é uma bobagem

 

Já que você não está aqui,

O que posso fazer é cuidar de mim

Quero ser feliz ao menos

Lembra que o plano era ficarmos bem?

 

- Ei, olha só o que eu achei: cavalos-marinhos

Sei que faço isso pra esquecer

Eu deixo a onda me acertar

E o vento vai levando tudo embora

 

(Renato Russo)

 

publicado por artedasao às 12:54

Domingo, 10 de Fevereiro de 2013

(Seca de Pescado na Praia da Nazaré)

 

                                   »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                   »»»»»»»»»»««««««««««

 

Vejo pessoas acorrentadas na rotina

Outras atrás das grades

Algumas em busca da sobrevivência

Outros só atraem vaidade!

 

Pessoas se corrompendo por dinheiro

Umas juntando rancor, má-fé, vingança... Desespero!

Alguns desistindo de ter vida

Outros vivem até demais... Experiência com sabedoria!

Tantas pessoas ao nosso redor passam até despercebidas.

 

Tudo porque a paz já não existe

Agora "tudo" tem final triste!

Tantos génios já se foram

Tantas vozes se calaram

O bom da música acabou... Meu ouvido se isolou!

Relembrar e reviver é o que restou!

 

A felicidade foi morar longe

O amor se encontra velho, frio, onde se esconde?

E a verdadeira "VIDA"? Foi parar aonde?

Vou procurar, fazer de tudo pra beber dessa fonte.

 

Vejo cultura se degradar lentamente

O povo nem quer mais saber da mente

A natureza some rapidamente... Ah! Que vergonha é essa?

Creio que seja a má administração do homem que só tem pressa

Estamos perecendo num mar de hipocrisia

Onde se deposita o voto no bolso do político vigarista.

 

O ar!? Já não respiraremos

Água!? Já não beberemos

E quem riu do nordeste

Vai virar "Cabra da Peste"

Calor vai ter de monte, vão morar debaixo da ponte

Ah?! Não é lugar digno? Por quê na hora de poluir deu risada e jogou o lixo?

Agora descerão lágrimas de arrependimento, da sociedade que só soube pensar em dinheiro

Dinheiro agora não será água, comida, nem casa!

Vai ficar vagando com sua família no meio do nada...

Infelizmente.

Cada um, caminha junto com a quebrada!

 

(Cauê Drumond)

 

publicado por artedasao às 12:07

Sexta-feira, 08 de Fevereiro de 2013

(Um olhar para a beleza do Mar da Nazaré)

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                 »»»»»»»»»»««««««««««

 

Nevoeiro


Entre o cais de partida e o de chegada

Deste mistério a que chamamos vida,

Olhando em volta não se vê mais nada

Que o nevoeiro da despedida.

Mal se nasce, inicia-se a contagem

Do que temos de deixar

Ao longo da viagem.

São contas de sumir, não de somar,

Mais de perder do que de achar.

Mas não se tira vantagem

Do que lançamos ao mar

E para se ser livre e ser inteiro

Importa ousar romper o nevoeiro.

 

(Torquato da Luz)

 

publicado por artedasao às 10:56

Segunda-feira, 04 de Fevereiro de 2013

(Este olhar é da Capela Nossa Senhora da Rocha, Algarve)

 

                                 >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                                    >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

Quero estar no lugar onde de manhã o sol nasce,

Quero estar na praia,

Quero estar na casa de uma família feliz,

Quero estar no passado,

No presente,

No futuro,

Quero estar na estrada,

Na montanha,

Ou nas alturas,

Mas, momentaneamente permaneço em meus pensamentos,

Onde posso estar onde quiser!

 

(Júlia Demétrio)

 

publicado por artedasao às 11:32

Domingo, 27 de Janeiro de 2013

(Praia San Rafael, Albufeira, Algarve)

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

 

                               >>>>>>>>>><<<<<<<<<<

 

A Praia

 

Barulhentas ondas, densas tristes; sondas este coração 

Não sei se te lembras, mas um dia triste eu a ti pedi

Uma simples carta de outro continente; me ouviste a prece, então recebi.

Como gratidão, trouxe pra que vejas

A mais linda peça intercontinental

É assim que a chamo, atlântica que amo

De igual para igual.

Ainda sopra o vento, o mesmo que:

Manso quis-me acalmar

Quando eu tão ávido, na noite

Impávido,te fui procurar.

Deixo a ti meus votos de que jamais haja

Em ti: poluição

Que haja em sua face um novo sol que nasce

Sem hesitação

E que te admirem, te respeitem praia

Do meu coração.

 

(Ezhequiel Águia Queiroz)

 

publicado por artedasao às 12:44

Segunda-feira, 07 de Janeiro de 2013

(Passagem para a Praia do Parque de Campismo de Árvore Vila do Conde)

 

                                    »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                                    »»»»»»»»»»««««««««««

 

Reflexão

 

Em Dunas escondidas procurei

Silêncio para o meu coração,

Naquela areia não vacilei

Fiz no meu interior reflexão.

 

Na caminhada algo dentro falava

E fazia o silêncio interromper,

A alegria que dentro faltava

Começou por dentro reaparecer.

 

Os caminhos que a vida nos leva

As vezes tem pouca duração,

Um amor nunca se despreza

Tem que guardar no coração.

 

Paixão o aguçar passageiro

Que faz o coração sofrer,

Os ventos os mensageiros

Viajam por dentro do querer.

 

O silêncio as vezes convida

A revolta pra parar,

Quando não encontra saída

Nem Dunas pra relaxar.

 

Assim cada coração pede

Um minuto pra silenciar,

Pra ver se a verdade sede

O melhor momento pra amar.

 

(Nae)

 

publicado por artedasao às 11:09

Sábado, 05 de Janeiro de 2013

(Foz do Rio Ave)

 

                               »»»»»»»»»»««««««««««

 

 

                               »»»»»»»»»»««««««««««

 

"Dois e Dois são Quatro"

 

Como dois e dois são quatro

Sei que a vida vale a pena

Embora o pão seja caro

E a liberdade pequena

Como teus olhos são claros

E a tua pele, morena

Como é azul o oceano

E a lagoa, serena

 

Como um tempo de alegria

Por trás do terror me acena

E a noite carrega o dia

No seu colo de açucena

 

Sei que dois e dois são quatro

Sei que a vida vale a pena

Mesmo que o pão seja caro

E a liberdade pequena.

 

(Ferreira Gullar)

 

publicado por artedasao às 11:38

Sexta-feira, 07 de Setembro de 2012

                                   >>>>>>>><<<<<<<<

                                   >>>>>>>><<<<<<<<

A lua, a praia, o mar

A rua, a saia, amar...

Um doce, uma dança, um beijo,

Ou é a goiabada com queijo?

Afinal, o que faz você feliz?

Chocolate, paixão, dormir cedo, acordar tarde,

Arroz com feijão matar a saudade...

O aumento, a casa, o carro que você sempre quis

Ou são os sonhos que te fazem feliz?

Um filme, um dia, uma semana

Um bem, um biquíni, a grama...

Dormir na rede, matar a sede, ler...

Ou viver um romance? O que faz você feliz?

Um lápis, uma letra, uma conversa boa

Um carinho, café com leite, rir à toa,

Um pássaro, ser dono do seu nariz...

Ou será um choro que te faz feliz?

A causa, a pausa, o sorvete,

Sentir o vento, esquecer o tempo,

O sal, o sol, um som

O ar, a pessoa ou o lugar?

Agora me diz,

O que faz você feliz?

 

(Pão De açúcar)

 

publicado por artedasao às 11:50

Quinta-feira, 23 de Agosto de 2012

Certa vez, um homem caminhava pela,

Praia numa noite de lua a cheia.

Pensava desta forma:

Se tivesse um carro novo, seria feliz;

Se tivesse uma casa grande, seria feliz;

Se tivesse um excelente trabalho, seria feliz;

Se tivesse uma parceira perfeita, seria feliz,

Quando tropeçou com uma sacola

Cheia de pedras.

Ele começou a jogar as pedrinhas uma a uma

No mar cada vez que dizia:

Seria feliz se tivesse...

Assim o fez até que somente ficou com uma pedrinha na sacola, que decidiu guardá-la.

Ao chegar em casa percebeu que aquela pedrinha tratava-se de um diamante muito valioso.

Você imagina quantos diamantes ele jogou

Ao mar sem parar para pensar?

Assim são as pessoas... Jogam fora seus

Preciosos tesouros por estarem esperando

O que acreditam ser perfeito ou sonhando e desejando o que não têm, sem dar valor

Ao que têm perto delas.

Se olhassem ao redor, parando para observar, perceberiam quão afortunadas são.

Muito perto de si está sua felicidade.

Cada pedrinha deve ser observada...

Pode ser um diamante valioso.

Cada um de nossos dias pode ser considerado

Um diamante precioso, valioso e insubstituível.

Depende de cada um aproveitá-lo ou lançá-lo

Ao mar do esquecimento para nunca mais recuperá-lo.

Você como anda jogando suas pedrinhas?

(que podem ser namorados, amigos,

Trabalho e até mesmos seus sonhos).

A morte não é a maior perda da vida.

A maior perda da vida é o que morre

Dentro de nós enquanto vivemos.

 

(Blandinne)

                                         »»»»»»»«««««««

                                         »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 13:01

Terça-feira, 07 de Agosto de 2012

Andar á beira-mar

Respirar fundo esse ar

Olhar o horizonte

E se perder na imensidão...

Delírio de poeta?

Rimas de um trovador?

Não...

Canções de dor

Canção de amor

Que diferença faz?

O dedilhar nas cordas frias

Se nada agora importa

As ondas se acalmaram

Um barco passou...

Bom mesmo é o calor no corpo

Calor na alma embriagada

Pelas lembranças de outrora

Esse mistério

Esse marasmo

Esse esplendor.

 

(Dilean de Bragança)

                                      >>>>>>><<<<<<<

                                      >>>>>>><<<<<<<

 

publicado por artedasao às 11:24

Domingo, 05 de Agosto de 2012

Versos na Areia

 

Escrevo versos na areia

Bordados a ponto de luz

Canções que o vento leva

 

Palavras cruzadas de amor

Cantadas a ponto de cruz

 

Selo sem marca d`água

Tormento que me seduz

 

Morro na praia dos sonhos

Entre a cruz e a luz, embalada

Entre a mágoa e a saudade

Uma imagem desenhada

 

(Luiza Caetano)

                                       >>>>>>><<<<<<<

                                       >>>>>>><<<<<<<

 

publicado por artedasao às 12:11

Quinta-feira, 02 de Agosto de 2012

 

Evolução!

Marinando meu todo,

sem inicio nem fim,

chafurdo no lodo, de que sou, que de mim.

"Ela" a minha sorte!

"Ele" o meu azar!

Em constante confronto,

com a sorte me embalo,

com o azar me desconto,

mas nada de afoitá-lo, ou de me afoitar.

Nem tinha, nem vivera, minas de ouro inconstante,

já tivera o bastante.

Aqui e acolá, te incentivam ao desmame,

sem que porém, alguém te ame.

Só esta mama, gorda, da agrura da vida, que te suga,

a pele e o osso,

Mesmo assim! Não desistes, de não lutar, pra te magoar,

nem engoles o caroço.

Que incongruente te esgana, te aquece e te queima

na chama, da virtude. Fantasmas de cartola,

desprezam-te, chutam-te a lama, já nada te ilude,

tudo é medido pela mesma bitola,

empurram-te de mansinho, a coberto da lei de funil,

que te promete águas mil, fora de Abril e tu vais,

de vela ou de arrais, mas cais.

É a semente da evolução, dessa vil maldição, dos gases letais,

que produzes em doses fatais,

já nem tu estás seguro, não há máscara que te valha!

nem detrás do muro, do forte ou da muralha,

pois tudo será derrubado e assim, ficarás também tu a usufruir do mal que criaste,

da podridão! Dessa tralha!

A evolução...

 

(Jorge Ferreira dos Santos)

                                    »»»»»»»«««««««

                                    »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 15:08

Sexta-feira, 20 de Julho de 2012

De repente como num filme me vi pequena, brincando na areia, chutando a água. Nessa hora eu ri sozinha e depois chorei. Chorei de saudade desse tempo, onde éramos todos inocentes e as brincadeiras não machucavam, onde as pessoas não nos magoavam e os sentimentos eram valorizados de alguma forma.

 

(Graycielly)

                                 »»»»»»»«««««««

                                 »»»»»»»«««««««

 

Uma coisa aprendi quando criança e brincava com areia: Não dá para segurar a areia por muito tempo, ela escorre entre os vãos dos dedos mas ainda assim, ficam umas pedrinhas na mão. Na época, eu achava que eram preciosas. E hoje, tenho certeza disso.

 

(Poetriz)

 

publicado por artedasao às 11:19

Segunda-feira, 25 de Junho de 2012

Árvore (Vila do Conde)

 

Eu vi Domingo 24-06-2012, esta praia com um extenso areal e protegida com a duna Natural. Diz-se do Parque de Campismo porque está situada junto ao Parque e este tem uma licença especial da Autoridade Marítima, na sua preservação e vigia com nadador salvador na época balnear e sem fins lucrativos, sendo por isso uma mais-valia para todos os banhistas, fica bem posicionada entre as praias de Azurara e Árvore, tem um passadiço entre elas com uma zona de descanso e também lugar para os carrinhos de bebé. Pode-se deste lugar, desfrutar das maravilhas do Mar, meditar e apreciar o farol de navegação em Vila do Conde bem como toda a sua beleza natural.

(Arte da São)

                                        »»»»»»»«««««««

                                        »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 12:34

Sábado, 16 de Junho de 2012

A Norte a Praia de Azurara, A Sul Praia de Árvore, A Nascente Parque de Campismo e a Poente a Praia do Parque.

“As pessoas viajam para admirar a altura das montanhas, as imensas ondas dos mares, o longo percurso dos rios, o vasto domínio do oceano, o movimento circular das estrelas, e no entanto elas passam por si mesmas sem se admirarem.”

(Agostinho de Hipona)

                                          »»»»»»»«««««««

                                           »»»»»»»«««««««

 

publicado por artedasao às 17:20

Terça-feira, 17 de Abril de 2012

Que a beleza quando está mais adornada.

É quando não está.

 

(S. Jerónimo)

Bangalôs na

Praia Fluvial das Rocas (Castanheira de Pêra)

 

                                   »»»»»»»»»»»»»»»»»»

 

Praia Fluvial Poço Corga no Leito da

Ribeira de Pêra em (Castanheira de Pêra)

 

tags: ,
publicado por artedasao às 12:13

pesquisar
 
Abril 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Últ. comentários
Olá Maria da Conceição!Encontrei ao acaso o seu bl...
Gostei imenso... De encontrar esses versos soltos ...
Maravilhosa tarde de segunda-feira para ti doce am...
Muito interessante!! Eu nunca tinha visto jarros c...
Uma fotografia muito linda!! Adoro pavões!!
Mais um belo poema e uma fotografia perfeita!!
Gostei muito deste poema!! Verdadeiramente encanta...
Muito linda
Ouvir o eco de nossas próprias palavras nos dá a i...
Belo poema, imagem ainda melhor!Dylan
Arte da São
conter12
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro